PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Aline Diniz


Aline Diniz

5 séries derivadas tão boas quanto (ou até melhores) as originais

Aline Diniz

Aline Diniz é jornalista de formação, especialista em séries de TV, apresentadora, roteirista e produtora focada em entretenimento e cultura pop. Depois de nove anos no site Omelete, onde foi estagiária, repórter, editora, gerente e muito mais, hoje é apresentadora da TNT e criadora de seu próprio conteúdo em várias plataformas, incluindo aqui no UOL!

Colunista do UOL

21/04/2020 04h00

O episódio final da quinta temporada de "Better Call Saul" já está disponível na Netflix e me fez pensar em outras produções derivadas de séries de sucesso. O programa, que acompanha a vida do advogado trambiqueiro Jimmy McGill (Bob Odenkirk), ainda vive na sombra de "Breaking Bad" —inclusive, tem bastante gente que não assiste à série até hoje, alegando que ela é muito lenta, ou que não tem nada a ver com a original. Essas pessoas não sabem o que estão perdendo.

Better Call Saul - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Ainda essa semana volto para a coluna com um texto sobre o surpreendente quinto ano de "Better Call Saul", mas fique por enquanto com algumas dicas de outras séries derivadas —algumas que muita gente nem sabe que são mesmo derivadas:

The Good Fight - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

'The Good Fight'

(Amazon Prime Video)

É a terceira vez que eu indico "The Good Fight" aqui pelo UOL, mas essa série é boa demais para ser deixada de lado. Derivada de "The Good Wife", o programa acompanha Diane Lockhart (Christine Baranski) em outra etapa de vida, em uma nova firma de advocacia, com novos colegas. A série fala muito sobre racismo, machismo e vários outros temas atuais, além de se aprofundar bem no cenário político norte-americano. Divertida, ácida e sempre inovadora, vale a pena assistir mesmo sem ter visto a original.

Os Simpsons - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

'Os Simpsons'

(Fox)

Essa é uma daquelas que ninguém nem sabia que era uma série derivada. "Os Simpsons" era originalmente um esquete do programa de variedades "The Tracey Ullman Show", exibido entre 1987 e 1990. A família amarela foi introduzida ao mundo através de um curta animado exibido logo após o retorno do intervalo comercial. "Os Simpsons" estreou como série independente em janeiro de 1990, enquanto "The Tracey Ullman Show" ainda continuou sendo exibida até maio do mesmo ano.

Young Sheldon - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

'Young Sheldon'

(Warner Channel / Globoplay)

Todo mundo gostava muito do jeito excêntrico e honestão do Sheldon (Jim Parsons) em "The Big Bang Theory". Então, por que não acompanhar sua infância e entender de onde veio tudo isso? Ver Sheldon crescendo ao lado de uma família tão diferente de si, mas ainda assim mantendo sua identidade, é algo muito especial. Além disso, a série segue um caminho muito diferente do que a original, fugindo do formato sitcom (com platéia ao vivo) e dedicando-se completamente à história do jovem Sheldon. Isso sem contar com a atuação de Iain Armitage, que é sensacional.

O Mundo Sombrio Sabrina - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

'O Mundo Sombrio Sabrina'

(Netflix)

Aqui estamos falando de um inception de derivados. Sabrina Spellman é uma personagem nascida nos quadrinhos "Archie", uma publicação antiguíssima nos Estados Unidos. Tínhamos visto uma série solo de Sabrina em 1996, adaptações animadas e em live action de Josie e as Gatinhas, enfim. Muita coisa tinha acontecido até "Riverdale" aparecer e, com o sucesso estrondoso da produção, todos os envolvidos foram muito ligeiros em criar uma nova versão de Sabrina Spellman, nos moldes atuais. Mais sombria mas definitivamente não menos teen, "O Mundo Sombrio de Sabrina" chegou chutando a porta e fazendo tanto sucesso quanto sua sucessora.

Frasier - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

'Frasier'

(Sony)

Derivada do clássico "Cheers" —que eu aposto que ninguém vai lembrar nem do nome— "Frasier" chegou para ser uma das comédias mais premiadas que a TV viu. Estrelado por Kelsey Grammer, o programa teve 11 —ONZE— temporadas e foi exibido originalmente entre 1993 e 2004. A série não tinha absolutamente nada de chamativo para explicar o sucesso que teve: conta a história de Frasier Crane, um psiquiatra que, recém-divorciado, muda de cidade e acaba solteiro e tendo que morar com o pai, um policial veterano que precisa de cuidados especiais depois de tomar um tiro durante um assalto. É uma daquelas séries em que todo mundo é chato demais para ser possível na vida real, o que torna tudo muito mais engraçado do que nessa sinopse que escrevi.

Friends - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

BÔNUS: 'Friends'

(Warner Channel / Netflix)

Sim, você leu direito! "Friends" está nessa lista! Mas só porque eu queria compartilhar uma curiosidade interessante que, teoricamente, coloca a série no mesmo universo de outra tão antiga quanto, tão boa quanto, mas não tão conhecida quanto: "Mad About You". Essa produção maravilhosa estrela Helen Hunt e Paul Reiser como um casal e acompanha seu dia-a-dia —e eu amo! Mas por que eu digo que "Friends" é derivada de "Mad About You"? Você se lembra de Ursula (Lisa Kudrow), a irmã gêmea de Phoebe (Lisa Kudrow)? Pois bem, antes de aparecer na série dos amigos, Ursula aparece em... "Mad About You"! Sim! E é exatamente a mesma personagem, uma garçonete desligada que não liga muito para ninguém e para nada.

Mad About You - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Aline Diniz