PUBLICIDADE
Topo

10 filmes que podem bombar no Oscar 2021

Primeira imagem oficial da nova versão de "West Side Story", ou "Amor, Sublime Amor" - Divulgação/IMDb
Primeira imagem oficial da nova versão de 'West Side Story', ou 'Amor, Sublime Amor' Imagem: Divulgação/IMDb

Caio Coletti

Do UOL, em São Paulo

04/03/2020 04h00

Ainda não se passou um mês desde que o Oscar 2020 coroou "Parasita" como o melhor filme do ano passado, abrindo um precedente histórico para obras estrangeiras competirem na categoria principal da premiação — mas a verdade é que a gente já começou a pensar no Oscar 2021!

Nesta lista, o UOL reuniu dez filmes que podem se destacar na corrida pela estatueta dourada no ano que vem. É muito cedo para saber exatamente quais das apostas vão manter-se fortes e quais vão "morrer na praia", mas vale ficar de olho — e começar a ficar ansioso desde já.

Hillbilly Elegy

Glenn Close em "The Wife" - Divulgação - Divulgação
Glenn Close em "The Wife"
Imagem: Divulgação

Esta produção da Netflix tem um pedigree e tanto quanto se trata de Oscar. Dirigido por Ron Howard (que venceu a estatueta por "Uma Mente Brilhante" e foi indicado de novo por "Frost/Nixon"), o filme ainda conta com Glenn Close (indicada 7 vezes) e Amy Adams (indicada 6 vezes) no elenco, além de um roteiro de Vanessa Taylor (indicada ao Oscar por "A Forma da Água").

A trama, inspirada em um livro de mesmo nome de J.D. Vance, acompanha um narrador relembrando a sua infância no meio-Oeste americano, um local de valores conservadores e antiquados. Haley Bennett ("A Garota no Trem") e Freida Pinto ("Quem Quer Ser um Milionário?") também estão no elenco.

A data de estreia ainda não foi definida pela plataforma de streaming.

Tenet

Christopher Nolan é um dos poucos cineastas em Hollywood que equilibra sucesso comercial com prestígio acadêmico. Seu épico de ficção científica "A Origem", por exemplo, conseguiu oito indicações ao Oscar (e venceu 4) mesmo se localizando em um gênero pouco favorecido pela premiação. Não seria inesperado se "Tenet", seu novo longa, repetisse o feito.

Embora a trama de "Tenet" ainda seja um segredo bem guardado, sabemos pelo trailer que ele será um épico de ação que envolve viagem no tempo. Robert Pattinson ("O Farol"), John David Washington ("Infiltrado na Klan"), Aaron Taylor-Johndon ("Vingadores: Era de Ultron") e Elizabeth Debicki ("As Viúvas") estão no elenco, além de colaboradores habituais de Nolan, como Michael Caine e Kenneth Branagh.

O longa chega aos cinemas brasileiros em 23 de julho.

West Side Story

Steven Spielberg (no centro) posa com atores do seu 'West Side Story' - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Steven Spielberg (no centro) posa com atores do seu 'West Side Story'
Imagem: Divulgação/IMDb

O único remake a vencer o Oscar de melhor filme em mais de 90 anos da premiação foi "Os Infiltrados", de Martin Scorsese, em 2007 — mas a gente aposta que, se algum outro longa pode quebrar esse tabu, é "West Side Story". Com o pedigree de Steven Spielberg na direção, o filme é um remake do musical "Amor, Sublime Amor", que em 1962 levou nada menos do que 10 estatuetas do Oscar para casa, incluindo melhor filme.

Se o amor da Academia por musicais e por Spielberg prevalecer, esta será a primeira vez que duas versões do mesmo filme levam o prêmio maior do Oscar. Na trama, acompanhamos a briga de gangues entre os Jets e os Sharks no bairro do Upper West Side, em Nova York, onde várias comunidades de imigrantes se concentravam nos anos 1950. Ansel Elgort ("A Culpa é das Estrelas") e a estreante Rachel Zegler vivem os protagonistas Tony e Maria.

Ainda não há previsão de estreia para o musical no Brasil.

Mank

O diretor de cinema David Fincher - David Livingston/Getty Images/AFP - David Livingston/Getty Images/AFP
Imagem: David Livingston/Getty Images/AFP

Longe dos longas-metragens desde 2014, quando lançou "Garota Exemplar", David Fincher vai retornar aos cinemas com um filme que deve agradar a Academia, sempre fissurada por histórias que exaltam a própria Hollywood: em "Mank", acompanhamos a vida do roteirista Herman J. Mankiewicz durante a atribulada produção de "Cidadão Kane" (1941), do diretor Orson Welles, considerado por muitos, até hoje, o melhor filme já feito.

Gary Oldman, ainda fresco do seu Oscar por "O Destino de uma Nação" em 2018, vive o personagem título. Fincher fez questão de filmar o longa em preto e branco, assim como "Cidadão Kane", o que deve apelar para o lado saudosista e técnico da Academia. O ator britânico Tom Burke ("Strike") interpreta Orson Welles.

O filme ainda não tem data de estreia marcada por aqui.

The Last Duel

Ben Affleck e Matt Damon - Reprodução - Reprodução
Ben Affleck e Matt Damon
Imagem: Reprodução

Outro peso pesado da corrida do Oscar que volta com tudo para 2021 é Ridley Scott, que vai lançar o seu primeiro longa desde "Todo o Dinheiro do Mundo" (2017). Para completar o apelo para a Academia, um trio de atores premiados vai estrelar a história: Adam Driver (indicado a 2 Oscar), Matt Damon (que tem 3 indicações) e Ben Affleck (que venceu um como produtor e um como roteirista, este último por "Gênio Indomável" ao lado de Damon).

Na trama, acompanhamos aquela que supostamente foi a última disputa resolvida "à moda antiga" no Reino Unido — com um duelo até a morte. Affleck e Damon mais uma vez juntam forças para assinar o roteiro (o primeiro dos dois a ser produzido desde "Gênio"), com a ajuda de Nicole Holofcener (que também já foi indicada ao Oscar, por "Poderia Me Perdoar?"). É um combo de prestígio difícil de ignorar.

O épico de Scott ainda não marcou data para chegar aos cinemas brasileiros.

The French Dispatch

Apesar de ser um dos cineastas mais admirados e únicos dos EUA nas últimas décadas, Wes Anderson nunca deu muita sorte no Oscar — até "O Grande Hotel Budapeste" (2014), que foi indicado a nove estatuetas (incluindo melhor filme) e venceu quatro nas categorias técnicas. Por isso, seu primeiro longa live-action desde então, "The French Dispatch", chega na corrida de 2021 com força.

O elenco estreladíssimo inclui favoritos da Academia, de Timothée Chalamet (indicado por "Me Chame Pelo Seu Nome") a Saoirse Ronan (que coleciona 4 indicações), passando por Willem Dafoe (indicado 4 vezes), Tilda Swinton (vencedora por "Conduta de Risco"), Edward Norton (que concorreu 3 vezes ao prêmio da Academia), Christoph Waltz (vencedor de 2 estatuetas) e Frances McDormand (que também já levou 2), entre muitos outros.

A trama acompanha as últimas histórias de um jornal prestes a fechar as portas. Ainda não há data de estreia no Brasil.

King Richard

Will Smith - Dan Mullan/Getty Images - Dan Mullan/Getty Images
Will Smith
Imagem: Dan Mullan/Getty Images

Embora Will Smith esteja afastado há algum tempo de filmes que possam ser considerados "material para Oscar", ele ainda é um queridinho da Academia, com duas indicações no currículo. Em "King Richard", o ator tentará emplacar a terceira ao entrar na onda dos dramas biográficos, interpretando Richard Williams, o pai da dupla de tenistas Venus e Serena Williams.

Técnico das duas irmãs super campeãs no começo de suas carreiras, ele superou origens humildes e o racismo de um esporte de elite como o tênis para transformá-las em ícones globais. Pouco mais se sabe sobre "King Richard", mas uma sinopse dessas dificilmente passará em branco pela Academia, que adora histórias inspiradas em fatos e tramas de superação. A direção do longa ficou com Reinaldo Marcus Green ("Monsters and Men").

Ainda não há previsão de estreia por aqui.

Ammonite

Kate Winslet e Saoirse Ronan em cena de 'Ammonite' - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Kate Winslet e Saoirse Ronan em cena de 'Ammonite'
Imagem: Divulgação/IMDb

O concorrente LGBTQ+ mais forte a aparecer na corrida até agora, "Ammonite" conta a história real da paleontologista Mary Anning, que aos poucos se apaixona pela mulher de um cliente, uma moça muito mais nova chamada Charlotte. A dupla de protagonistas é vivida por duas figurinhas carimbadas do Oscar: Kate Winslet (7 indicações, 1 estatueta) como Mary, e Saoirse Ronan (4 indicações) como Charlotte.

Histórias LGBTQ+ bem contadas têm conseguido projeção no Oscar recentemente, como mostraram "Moonlight" (8 indicações 3 vitórias), "Me Chame Pelo Seu Nome" (4 indicações, 1 vitória) e "Poderia Me Perdoar?" (3 indicações). Com elenco prestigiado e ambientação de época (a trama se passa na Inglaterra do século 19), o filme de Francis Lee ("O Reino de Deus") é forte candidato a preencher esta lacuna em 2021.

O drama ainda não marcou data para chegar aos cinemas brasileiros.

The Father

Olivia Colman e Anthony Hopkins em cena de 'The Father' - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Olivia Colman e Anthony Hopkins em cena de 'The Father'
Imagem: Divulgação/IMDb

Um dos poucos filmes desta lista que uma parte do público já viu, "The Father" foi exibido no Festival de Sundance e banhado em elogios pelos críticos. O destaque são as performances de dois atores que estão em alta no Oscar recentemente: Anthony Hopkins (indicado este ano por "Dois Papas", e já vencedor de uma estatueta) e Olivia Colman (que levou melhor atriz em 2019 por "A Favorita").

Aqui, os dois interpretam pai e filha. O personagem de Hopkins, sofrendo problemas de memória por causa da idade, recusa qualquer tipo de ajuda, inclusive da personagem de Colman. A relação difícil dos dois é a fundação para o filme do estreante Florian Zeller, que pode se tornar o (quase obrigatório) grande concorrente britânico do Oscar 2021.

Ainda não há previsão para a chegada de "The Father" ao Brasil.

Respect

Se o Oscar 2019 teve "Bohemian Rhapsody" (5 indicações, 4 estatuetas), e o Oscar 2020 teve "Rocketman" (1 indicação, 1 estatueta), a grande cinebiografia musical de 2021 deve ser "Respect". Este é também o único filme da nossa lista com uma diretora do sexo feminino: Liesl Tommy, estreante em longas-metragens, que já assinou alguns episódios de "Jessica Jones" na TV e venceu um Tony (o Oscar do teatro) por dirigir a peça "Eclipsed".

"Respect" traz um olhar sobre a vida da rainha do soul Aretha Franklin, que morreu em 2018 aos 76 anos. Jennifer Hudson, que venceu o Oscar por outro musical, "Dreamgirls", pode voltar ao páreo (e como favorita!) por sua performance como Aretha — a atriz foi escolhida pessoalmente pela cantora antes de morrer. O elenco ainda conta com outros atores chancelados pela Academia, como Forest Whitaker (vencedor por "O Último Rei da Escócia") e Mary J. Blige (indicada por "Mudbound").

A produção chega aos cinemas do Brasil em 26 de novembro.