PUBLICIDADE
Topo

Gracyanne, política e anúncios: Como foi o 2º dia da CCXP em São Paulo

Gracyanne Barbosa chega na CCXP 2019 de Mulher-Maravilha - Iwi Onodera/UOL
Gracyanne Barbosa chega na CCXP 2019 de Mulher-Maravilha Imagem: Iwi Onodera/UOL

Do UOL, em São Paulo

07/12/2019 04h00

A CCXP chegou ao seu segundo dia para celebrar o mundo geek na São Paulo Expo. O dia abriu com muitas novidades, mas o assunto do painel de Aves de Rapina ainda ecoava pelos corredores do festival. Já que as imagens das novas cenas não foram mostradas, nossa reportagem descreveu tudo aqui para vocês. Em um momento pouco típico da CCXP, o tom político pegou mais forte em 2019 do que nas edições anteriores.

Política na CCXP? Temos!

Além de cosplays, séries e filmes, o segundo dia da CCXP 2019 foi marcado pelo coro de "ei, Bolsonaro vai tomar no c*". Os temas políticos tomaram conta do painel do Globoplay, comandado pelo humorista Fernando Caruso, famoso por imitar o presidente no Zorra, e ainda relembrou da frase icônica de Titi Müller no Rock in Rio deste ano. "Vocês estão pedindo Anitta?", brincou.

Intérprete de um dos vilões mais famosos dos últimos anos, Mateus Solano, que viveu Félix em Amor à Vida (2013), também falou sobre política no painel onde esteve. "É só olhar para o nosso governo que a gente vê que os brasileiros gostam de um vilão. E não é de hoje", disse o ator, sendo efusivamente aplaudido pela plateia.

Fábio Assunção, que conhece bem o drama do vício em drogas, fez um discurso sobre a importância de levar o tema "à mesa da família brasileira". "Tenho a oportunidade de tratar de algo que faz parte da minha vida na forma de dramaturgia, não da minha imagem roubada, mas de forma legítima. Conheci vários lados dessa história", afirmou.

#UOLnaCCXP2019: Compras e até cabelo blindadão

UOL Entretenimento

Dança do ventre?

Outro momento inusitado foi um desabafo de Giovanna Antonelli, que falou sobre sua icônica participação na novela O Clone. Ela, que teve um dos maiores sucessos de sua carreira ao interpretar Jade, confessou que no começo estava com medo de viver a personagem, da qual fala com muito carinho. O motivo? Ela descobriu que teria que executar a dança do ventre. "Eu odeio dançar, já tive [com isso] que quebrar a minha primeira barreira. Por dentro eu estava 'que merda', não vou saber fazer", declarou ela na CCXP 2019, em um painel que homenageia os 20 anos da novela, que reestreia em 2020.

Famosos? Temos também!

Sabe quem apareceu na CCXP? E ainda fez um cosplay de Mulher-Maravilha? Gracyanne Barbosa! Ela atendeu o público, que fez fila no estande da Creators By Trigg para conseguir uma foto com a fisiculturista."Na vida a gente se sente Mulher Maravilha. Os meus vilões, infelizmente, são nosso governo e nossa política, mas eu tenho esperança", diz

Quem também atendeu muita gente - incluindo um pedido inusitado da reportagem - foi Vivi Fernandez. A atriz realizou todas as brincadeiras do estande do SBT, como conhecer a casa da Bruxa do 71, na vila do Chaves. Conversando com o UOL, ela diz que até hoje em eventos com grande público é reconhecida pelos filmes pornôs que estrelou.

Já nem tanto acessível como nossas entrevistas anteriores, Maisa apareceu por lá para gravar seu programa, mas driblou o assédio.

Walking Dead já era?

O fim das histórias em quadrinhos de The Walking Dead pegou os leitores de surpresa - mas não foi tão repentino como muita gente imaginou. O ilustrador Charlie Adlard, que trabalhou na série da sétima edição até a última, a 193, revelou que o fim já era uma certeza quatro anos atrás.

"O fim foi planejado há muitos anos, acredite ou não", revelou o quadrinista hoje, durante um painel da CCXP. Segundo ele, tudo começou quatro anos atrás, quando ele enviou um e-mail para Robert Kirkman, o criador da história, perguntando se ele já tinha uma conclusão em vista. "Escrevi dizendo que podíamos acabar, já estávamos fazendo [a HQ] há um bom tempo".

Pop Drops: Desvendando as fakes news do mundo geek

UOL Entretenimento

CCXP