PUBLICIDADE
Topo

Giovanna Antonelli odiou dança do ventre em O Clone: "Que m***"

Amauri Nehn/Brazil News
Imagem: Amauri Nehn/Brazil News

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

06/12/2019 13h25

Giovanna Antonelli teve um dos maiores sucessos de sua carreira ao interpretar Jade na novela O Clone (2001). Entretanto, a atriz confessa que no começo estava com medo de viver a personagem, da qual fala com muito carinho. O motivo? Ela descobriu que teria que executar a dança do ventre.

"Eu odeio dançar, já tive [com isso] que quebrar a minha primeira barreira. Por dentro eu estava 'que merda', não vou saber fazer", declarou ela na CCXP 2019, em um painel que homenageia os 20 anos da novela, que reestreia em 2020.

Ela também contou um pouco sobre sua preparação para dançar na trama.

"Eu filmava e ficava assistindo para aprender aqueles passos todos, eu ficava louca. Tinha uma imersão, porque a gente tinha que aprender minimamente frases, expressões, e falar muito também, porque as pessoas são críticas. Mesmo antes das redes sociais já eram também".

Ela também falou sobre a importância da novela ter ajudado a mostrar a cultura árabe, quebrando preconceitos.

"Acho que foi a primeira novela que foi tão fundo na cultura de um povo. A novela veio para desmistificar o mito. A cultura árabe é uma das mais encantadoras que conheci na minha vida", disse ela.

"Todo mundo pergunta se eu danço pro meu marido. Nunca. Quando eu olho [a novela] eu falo: não sou eu! Não tem nada a ver comigo" complementa Giovanna, que conta ter um pano de Jade até hoje.

A atriz também elogia o trabalho de Gloria Perez, autora da trama: "A gente sabe que ela é uma mulher à frente do tempo, ela está sempre enxergando à frente. Acho que em poucos trabalhos você tem essa oportunidade de fazer uma história de amor da forma que foi e fazer as pessoas comprarem. E é muito delicado fazer mocinha de novela, porque geralmente elas são idiotas. Eu adoro fazer mocinha, fiz muitas, mas também não sou a favor da mocinha idiota porque as mulheres não são mais assim".