Topo

Rock in Rio


Presença de Anitta e invasão pop: Como foi o 6º dia do Rock in Rio 2019

Wilton Júnior/Estadão Conteúdo
Imagem: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio de Janeiro

06/10/2019 04h00

Depois de ser invadida por camisetas pretas no dia do metal, o Rock in Rio se reencontrou novamente com as ondas radiofônicas através do pop e do funk. Em um dia com apresentações munidas de hits e muito, mas muito calor, o público pôde se esbaldar e cantar junto os hits de Anitta, Projota, Black Eyed Peas, Pink, Charlie Puth e outros.

A presença de Anitta

Como dizem os cariocas, Anitta esculachou no Rock in Rio. Esnobada pela organização há dois anos, a cantora fez sua estreia no festival realizado no Brasil e chamou os holofotes para si, esvaziando os demais ambientes da Cidade do Rock enquanto se apresentava. Em 2017, o Rock in Rio não ouviu os apelos do público, e Anitta foi preterida. No ano passado, arrasou na edição em Lisboa. E neste sábado, enfim, pisou no palco Mundo no Rio de Janeiro. Com um show enxuto, de uma hora, como pede o festival, Anitta economizou no falatório para privilegiar as músicas. Mas em uma de suas únicas interações fez um autoelogio.

"Se eu fosse contar tudo o que aconteceu na minha história até eu chegar até aqui, talvez vocês não se acreditassem. Eu queria agradecer muito a vocês, porque vocês me colocaram aqui hoje. Mas eu sempre agradeço a vocês. Então hoje eu também queria muito agradecer a mim porque eu não desisti. Eu agradeço muito a vocês sempre, mas hoje passou um filme na minha cabeça", discursou a estrela, ovacionada pelo público.

A presença de Anitta 2

A presença de Anitta e a ausência de Fergie foram as grandes novidades no show do Black Eyed Peas no palco Mundo do Rock in Rio 2019, neste sábado (5). A brasileira, que já havia aberto o palco Mundo mais cedo, se juntou ao trio Will.i.am, Apl.de.ap e Taboo para cantar Don't Lie, cuja inclusão no set no Rock in Rio foi pedida pela própria Anitta. Na sequência, como esperado, Anitta cantou Explosion, parceria dela com o grupo lançada no último dia 30, e que faz referência à cidade carioca.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Funk e rap in Rio

De um lado, Ludmilla e a Funk Orquestra comandaram uma bela homenagem ao funk. O show passou por todas as fases do funk brasileiro, com um trecho de cada hit iniciando com o Rap da Felicidade e tocando músicas de Anitta, Tati Quebra-Barraco, Mc Serginho, Bonde do Tigrão, Furacão 2000, Valeska Popozuda, Mc Federado e os Leleks, Mc Fioti, Jojo Todynho e também uma homenagem ao Mr. Catra, que morreu em setembro de 2018.

Do lado do rap, Projota levou ao palco os convidados Vitão e Giulia Be, com seus maiores sucessos, rimas em homenagem a Charlie Brown Jr e AC/DC, além de declarar que começou a ouvir rap para "mandar o presidente tomar no c*". "Sinceramente, eu comecei a ouvir rap com 15 anos de idade, e o principal motivo pelo qual eu quis ouvir rap foi pra mandar esse presidente tomar no c* a vida inteira", disse o cantor.

Suspiros pop por Charlie Puth e H.E.R.

Em sua estreia no Brasil, Charlie Puth, que divide os vocais em See You Again com Wiz Khalifa, arrebatou corações no Rock in Rio ao fazer um show cheio de sucessos e muito swing. O norte-americano abriu o show com o hit How Long, single de Voicenotes, e levantou o público do Rock In Rio. Trazendo todo o pop ao Sunset, ele fez o público cantar em coro as Mother, We Don't talk Anymore, que na versão original traz o vocal de Selena Gomez, e Done for Me.

Também estreante por aqui, a cantora Gabriella Wilson, mais conhecida como H.E.R., apresentou seus hits no palco Mundo do Rock in Rio, com muito R&B e soul music, além de preparar uma versão de Mas que Nada e declarar seu amor pelo público.Vencedora de dois Grammys neste ano como melhor álbum, com I Used to Know Her, e melhor performance, a americana justificou sua premiação com um show inspirado e performando Carried Away, Racks e Hard Place.

Rock in Rio