PUBLICIDADE
Topo

Edi Rock lança música 'Vidas Negras Importam', feita antes dos protestos

Música faz parte de novo álbum "Origens - Parte 2" do rapper  - Divulgação
Música faz parte de novo álbum "Origens - Parte 2" do rapper Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

10/06/2020 14h50Atualizada em 10/06/2020 15h11

O rapper Edi Rock, integrante do Racionais MC's, lançou hoje a música e o videoclipe "Vidas Negras Importam", que faz parte de um novo álbum chamado "Origens - Parte 2".

"Quando ela estava sendo mixada no estúdio, o João Pedro foi morto e pouco depois foi o caso do George Floyd, nos EUA. Precisamos dizer um basta à violência policial", disse o cantor em entrevista ao jornal Alma Preta.

João Pedro foi morto no Rio de Janeiro no dia 18 de maio, após ser atingido dentro da casa de um tio por um tiro de fuzil 556 disparado durante operação conjunta das polícias Civil e Federal. George Floyd morreu dia 25 do mesmo mês, nos Estados Unidos, depois um policial asfixiá-lo por 8 minutos e 46 segundos com o joelho.

A canção faz críticas e denúncias sobre desigualdades sociais ainda enfrentadas pelos negros. "A música é mais uma ferramenta, mais um canal de denúncia e ativismo. Eu, como negro e músico, entendo como obrigação o posicionamento e opinião por meio da música", contou ao jornal.

No videoclipe, aparecem imagens de João Pedro e de cartazes dos protestos nos Estados Unidos. Marielle Franco, Ágatha Félix e Maria Eduarda também são lembradas durante a música.

Hoje, Edi Rock contou pelo Twitter que estava trabalhando na produção do novo álbum desde o ano passado e reforçou que sua contribuição para o momento é por meio das músicas. "Nada mais oportuno, já que o momento de ataques contra o povo negro pede posicionamento e atitude", escreveu.

O primeiro álbum, "Origens", também teve letras de luta contra a violência policial e o racismo, como "Corre Neguin", com participação de Xande de Pilares.

O trabalho solo do integrante do Racionais MC's contou ainda com as parcerias com Lauana Prado, Mc Pedrinho, Rael, Alexandre Carlo e Haikass, misturando rap, sertanejo, funk e reggae.

Rap nacional