PUBLICIDADE
Topo

CCXP


CCXP: Fãs passam mais de 24 horas na fila para ver Marvel e Star Wars

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

07/12/2019 16h18

A enorme massa que lotava desde a manhã de hoje o Auditório Cinemark tinha outra coisa em comum além da admiração pelas produções da Disney. Afinal, com exceção de estafe e convidados do estúdio, as mais de 3.000 pessoas que estavam ali passaram uma ou mais noites na fila para acompanhar novidades de Star Wars e Marvel no São Paulo Expo, centro de convenções que sedia até amanhã a CCXP 2019 (Comic Con Experience).

Com a presença de astros como Ryan Reynolds, Kevin Feige, J. J. Abrams, John Boyega e Daisy Ridley, a Disney domina a programação de hoje do espaço mais disputado do evento geek. Por isso, os mais acostumados com o burburinho que esses encontros costumam gerar se preparam para encarar a fila com mais de um dia de antecedência.

Dentro da sala de cinema indoor, o UOL apurou que os primeiros a entrar ali estavam na fila desde a noite de quinta-feira, primeiro dia oficial do evento, enquanto os últimos receberam suas pulseiras ontem às 20h30.

CCXP 2019: Fãs derrubam grade em cima de Ryan Reynolds

UOL Entretenimento

Tanto preparo acontece para garantir uma cadeira, já que o auditório não é esvaziado durante o dia por uma estratégia da própria organização para facilitar a logística entre um painel e outro. Funciona da mesma forma na Comic Con original, de San Diego (Estados Unidos), onde até os jornalistas que estão lá a trabalho precisam aguardar na fila entre os comuns. Para entrar em um espaço disputado como esse sem enfrentar fila, só recebendo um convite dos estúdios.

Sentados nas últimas fileiras do auditório, para onde também foram deslocados os convidados, um grupo que veio de Santos (SP) contava sobre a aventura para conseguir as últimas disputadas pulseiras que garantiram o lugar deles.

"Chegamos ontem mais ou menos às 20h e fomos direto para o local onde a galera estava concentrada. Meia hora depois a organização já passou avisando que não adiantava mais ficar ali, pois estava tudo esgotado", relembra o desenvolvedor Thiago Henrique Santos, de 24 anos.

Por pouco, sua namorada, a confeiteira Naila Rocco, não conseguiu um lugar junto deles. Ela teve um problema com o comprovante de meia entrada e não conseguiu entrar na correria junto com os amigos. Após muito choro, a organização liberou mais 10 pulseiras e ela foi agraciada.

O grupo da Baixada Santista, que contava ainda com João Victor Rodrigues e Vinicius Gonçalves Garcia, entrou no auditório alguns minutos depois das 10h, quando as primeiras cenas de Frozen 2, que abriu a programação do dia, já eram exibidas no telão. A empolgação era grande mesmo após as mais de 14 horas de espera, afinal, dali eles não sairiam mais até pelo menos o último painel do dia, marcado para começar às 17h.

Dezenas de fileiras à frente, aqueles que chegaram ainda mais cedo agitavam seus sabres de luz a cada interação de convidados com o público. Os mais privilegiados, na primeira fileira do auditório, chegaram na quinta-feira à noite.

Já as amigas Nicole König, 19, e Natália de Ávila, 18, vieram de Porto Alegre e Brasília, respectivamente, e "só" conseguiram chegar ao São Paulo Expo ontem às 8h. Ainda assim, também garantiram uma cadeira na fileira mais disputada.

"Quando entramos na fila já tinha umas 50 pessoas que estavam desde a noite anterior. Ainda assim garantimos nosso lugar entre os primeiros", contam as meninas, que são ratas de eventos geek pelo mundo. Nicole já foi até para os Estados Unidos atrás de grandes anúncios da Marvel. Para bancar as aventuras, elas dizem se organizar com pelo menos um ano de antecedência. Mesmo veterana, a jovem ainda lamenta pelo desconforto na madrugada.

"Venho todo ano e não aprendo. Dessa vez só trouxe uma coberta e uma almofada", conta Nicole sobre o desconforto de passar a noite no chão gelado do estacionamento do pavilhão, onde os fãs ficaram organizados. "Eu peguei uns travesseiros do hotel para trazer", confessa Natália.

Apesar dos perrengues, os primeiros da fila elogiaram a organização do evento, que distribuiu as pulseiras que garantiram a entrada no auditório e tentou organizar o público que esperava em diferentes espaços. A reclamação fica por conta de pessoas que chegaram depois e se incomodaram de dividir espaço com quem tinha ingressos de categorias inferiores.

"Está todo mundo aqui pelo mesmo motivo. Quem chegou primeiro, fica. É essa a ordem", conclui Nicole.

CCXP