PUBLICIDADE
Topo

Prepare seus R$ 50: comer bem na CCXP é um desafio ao bolso e à paciência

Empadas estão entre as opções gastronômicas da CCXP - Leonardo Rodrigues/UOL
Empadas estão entre as opções gastronômicas da CCXP Imagem: Leonardo Rodrigues/UOL

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 14h56

Comer bem e pagando pouco na CCXP é um desafio comparável a liquidar Darth Vader sendo apenas um aprendiz de Jedi. A feira geek que ocupa toda a São Paulo Expo, a maior Comic Con do mundo, possui diversos espaços e praças gastronômicas, mas com opções que pouco variam entre a junk food e a comida que você encontra em um shopping - com preço ainda mais caro que no shopping.

A reportagem do UOL deu um giro pelo evento e encontrou poucas comidas consideradas "saudáveis". Veganos, vegetarianos e pessoas com alergia alimentar, por exemplo, comem mal na CCXP. Para os demais, o desafio maior é encontrar um lanche por menos de R$ 20. Cachorros-quentes com batata palha e molho e são vendidos a R$ 25, enquanto hambúrgueres mais incrementados, com carne de picanha e molho, podem passar de R$ 30.

Público também encontra sanduíches naturais na CCXP - Leonardo Rodrigues/UOL - Leonardo Rodrigues/UOL
Público também encontra sanduíches naturais na CCXP
Imagem: Leonardo Rodrigues/UOL

Itens básicos de sobrevivência, água e refrigerantes são comercializados de R$ 6 a R$ 8, e encontrar um suco natural de fruta é mais difícil que vencer Wolverine no corpo a corpo. Nos poucos locais em que é vendida, a versão enlatada sai por R$ 12. Alguns estandes, "escondidos", se arriscam comercializar pequenos potes de saladas de frutas e folhas, com preços acima de R$ 12.

Para quem não abre mão de um bom PF, também conhecido como "comida de verdade", o melhor é se dirigir à loja da franquia Vivenda do Camarão. Os pratos vão de R$ 38 (estrogonofe de camarão) a R$ 42 (salmão grelhado), com bebida não incluída. Massas e saladas da rede Spoleto saem por R$ 34 e R$ 36. Ou seja, para comer bem no evento, considerando apenas uma refeição, custa em trono de R$ 50 - ou um pouco menos, se você encarar uma porção não muito generosa do yakissoba do China in Box (R$ 32).

Rolê geek: Além da CCXP, veja o que fazer em São Paulo

UOL Entretenimento

Mais dificuldade

Ser geek em 2019 é ter dinheiro no bolso e paciência e disposição para rodar os 115 mil metros quadrados da São Paulo Expo, já que os pontos gastronômicos estão espalhados pelos cantos e extremidades do pavilhão. Vale lembrar que o ingresso para entrar no evento, no primeiro lote, custava a partir de R$ 90 e chegava a R$ 8.000, na experiência completa.

A reportagem experimentou algumas das comidas mencionadas acima, incluindo salgados vendidos por R$ 10, e elegeu uma favorita: a deliciosa tapioca napolitana da Tapioteca, oferecida por módicos - dentro do contexto - R$ 17, mais R$ 10 da latinha de refrigerante: R$ 27. É saudável, é brasileiro (com toque italiano) e mata a fome por algumas horas, podendo servir tanto de almoço como lanche da tarde.

Tapioca napolitana é uma das opções gastronômicas apreciadas na CCXP - Leonardo Rodrigues/UOL - Leonardo Rodrigues/UOL
Imagem: Leonardo Rodrigues/UOL

Mesmo com esses preços salgados, as filas para comer são uma constante na CCXP. "A gente acha que está tudo caro mesmo, Mas fazer o quê? É mais uma forma que eles arrumam de conseguir dinheiro. Todo mundo que está aqui precisa comer uma hora, e eles aproveitam", diz o administrador Ronaldo Ribeiro, 26, vestido de Homem-Aranha e de olho na tapioca Orlando, com frango caipira e cream cheese.

Vale lembrar que todo mundo pode entrar na CCXP com alimentos, desde que estejam em suas embalagens originais lacradas ou, em caso de alimentos não industrializados, estejam em uma embalagem de plástico fechada. Garrafas de vidro, latas e bebidas alcoólicas estão vetadas.