Topo

Pop


Colombiana Karol G quer conquistar o Brasil com ajuda do funk e do sertanejo

A colombiana Karol G - Divulgação
A colombiana Karol G Imagem: Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

01/07/2019 04h00

A cantora colombiana Karol G, 28, quer conquistar o Brasil com o seu reggaeton. Os primeiros passos já foram dados. Em maio ela gravou La Vida Continuó, com Simone & Simaria e, no início do mês, cantou a música Vibra Continente na abertura da Copa América ao lado de Léo Santana.

Agora, a cantora quer fazer parcerias com Anitta e Kevinho e se tornar tão conhecida por aqui quanto seus conterrâneos Maluma, J Balvin e Greeicy (não por acaso, todos já gravaram com Anitta).

"A música latina chegou a um ponto de ser superglobal, não importa o idioma, a raça ou lugar. Todo mundo escuta, é impressionante", disse Karol G ao UOL. Em 2018, ela ganhou o Grammy Latino de artista revelação e já teve três singles no Top 10 da Billboard Hot Latin Songs: "Ahora me Llama", "Culpables" e "Mi Cama".

Ainda pouco conhecida no Brasil, a artista é atualmente uma das maiores estrelas da Colômbia e já fincou os pés nos Estados Unidos. "Estou aproveitando o momento. Durante muito tempo, nos Estados Unidos, havia um gueto de música latina, mas agora o público anglo curte muito o reggaeton", contou.

Karol diz que atualmente sua base de público mais forte está nos Estados Unidos. "É algo raro isso entre os artistas latinos. Demorei anos para criar um nome na comunidade latina nos Estados Unidos, mas quando explodi, o impacto foi grande e rápido e a experiência tem sido maravilhosa".

No YouTube, seus números são comparados ao de Anitta. Karol G perde por pouco no número de seguidoras, ela tem 10 milhões enquanto a brasileira acumula 12 milhões, mas vence Anitta no número de visualizações. Seus clipes já foram assistidos 4,2 bilhões de vezes enquanto os de Anitta tiveram 3,9 bilhões de views.

Anitta e Kevinho

Karol G - Divulgação
Karol G
Imagem: Divulgação
Fã de funk e da música brasileira, Karol G disse que gostaria de gravar com Anitta e Kevinho. "Creio que juntar forças ajuda a todos a crescer cada vez mais", diz ela.

Para Karol, as diversidades do Brasil ajudam a criar novas músicas mas dificultam a entrada de artistas estrangeiros. "Este ano, meu foco é o Brasil. Aqui é tão grande e tem tanta diversidade. Os artistas colombianos amam tocar aqui", afirmou. "Mas o Brasil é quase um continente diferente. É um gigante que tem um riqueza cultural grande e muitos estilos, como o funk, samba e sertanejo. Amamos os artistas daqui, mas para entrar é bem difícil e bem complicado", analisou.

"Poderosa e atraente"

Assim como nas músicas de Anitta, as letras de Karol G também falam sobre empoderamento feminino, sobre amor e sobre sexo, como em Punto G e Ahora Me Llama.

"As letras das minhas canções são o que a Carolina vive, ou seja, o que qualquer mulher vive. Canto de amor e de desamor. Falo sobre tudo, inclusive das minhas intimidades. Boto a mulher numa boa posição, poderosa e atraente", contou.

"Gosto de me expressar como eu sou. Não coloco um filtro nas minhas canções, simplesmente digo o que sinto. Quando as pessoas se identificam com elas, me sinto orgulhosa. Sou tudo o que canto".

Pop