Topo

Filmes e séries


Por que as cinebiografias musicais vão virar tendência em Hollywood

Divulgação
Cena de Rocketman, cinebiografia sobre Elton John Imagem: Divulgação

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

2019-06-15T04:00:00

15/06/2019 04h00

Para quem acompanhou a ascensão da Marvel e reclamou da invasão dos super-heróis nos grandes filmes, um alerta: a tendência agora serão as cinebiografias musicais. Dando um fôlego depois de tantas histórias em quadrinho serem transformadas em batalhas épicas nas telonas, agora a indústria está de olho em histórias reais com um pano de fundo musical.

O sucesso de Bohemian Rhapsody, sobre o Queen, que faturou mais de US$ 900 milhões no mundo, e a boa repercussão de Rocketman, sobre Elton John, abrem caminho para um segmento que deve contar outras boas histórias nos próximos anos.

São vários filmes que exploraram o gênero, como Ray (2004), que conta história de Ray Charles, ou Walk the Line (2005), sobre Johnny Cash, mas nunca houve uma expectativa tão grande por outras produções do segmento.

Histórias fortes, reais e dramáticas

Um ponto a favor das cinebiografias é fato delas contarem com uma história forte por si só. Bandas de rock, cantores e artistas do passado, além do fator nostálgico, carregam consigo uma trajetória capaz de sustentar um filme. "E eles não precisam nem dramatizar nada porque as histórias já são boas por si só", disse Jem Aswad, editor de música da revista Variety.

Além do já anunciado filme sobre Boy George, o nome de David Bowie estaria em constante discussão nos estúdios para um longa sobre o cantor. Outro nome frequente no noticiário é de Madonna, que chegou a manifestar seu desejo de dirigir sua própria cinebiografia.

Divulgação
Imagem: Divulgação

As adaptações para o cinema, por muitas vezes, não saem 100% fiéis à história real, mas isto não é um fator que preocupa o jornalista americano. "As pessoas estão dispostas a aceitar onde o filme as levará", disse ele, sobre algumas críticas que Bohemian Rhapsody recebeu por alterar a linha do tempo do Queen. "Nada aconteceu daquele jeito, mas o público em geral não se preocupa. Isso é só para críticos musicais como eu", brincou.

Há quem lute contra essa onda

Hollywood dá indícios de que vai abraçar essa tendência de cinebiografias, mesmo que seja uma aposta que não tenha um ciclo tão duradouro. Alguns jornalistas especializados, inclusive, têm deixado claro que são contra essa movimentação.

O artigo de Tom Brueggemann, publicado no IndieWire, ressalta a tentação da indústria de "apelar para milhões de fãs e a isca de possíveis indicações a prêmios". No último Oscar, Bohemian Rhapsody levou quatro estatuetas para casa, entre elas a de melhor ator para Rami Malek por interpretar Freddie Mercury.

E o que vem por aí?

Há vários projetos ligados ao mundo musical em andamento. É claro que alguns deles podem acabar engavetados no meio do processo, mas a possibilidade de vermos outros artistas retratados nas telonas nos próximos anos é grande.

  • Boy George - O icônico vocalista da banda Culture Club vai virar filme nas mãos do diretor Sacha Gervasi, de acordo com o Deadline. O longa tratará da juventude do cantor até seu auge com a banda.
  • David Bowie - O filme Stardust deve contar um episódio específico da carreira do compositor, sua visita aos Estados Unidos em 1971. Rumores apontam que o ator Johnny Flynn será escalado como Bowie.
  • Lynyrd Skynyrd - De acordo com o site VCR, o filme focará na ascensão da banda e o acidente de avião de 1977, que vitimou três integrantes do grupo.
  • Amy Winehouse - Segundo o The Wrap, o filme será produzido por Alison Owen e Debra Hayward ao lado com Mitch, pai de Amy. Ele disse recentemente que "sentia que o momento havia chegado".
  • Elvis Presley - O diretor Baz Luhrmann está liderando o projeto ao lado da Warner Bros. Um dos nomes cotados para o elenco é Tom Hanks, que faria o empresário de Elvis, "Colonel Tom" Parker.
  • Aretha Franklin - O filme contará a trajetória da Rainha do Soul de sua infância cantando no coral da igreja de seu pai até se tornar um ícone internacional. A MGM aponta quer lançar o filme em agosto de 2020.
  • Bob Marley - Ziggy Marley, filho da lenda do reggae, está produzindo o longa juntamente com a Paramount.
  • John Lennon e Yoko Ono - Anthony McCarten, roteirista de Bohemian Rhapsody, escreveu uma trama para contar a história do romance entre John e Yoko, narrando sua história de ativismo e música. O filme deve ser dirigido por Jean Marc Vallée, de Big Little Lies e Dallas Buyers Club.
  • Madonna - Elyse Hollander fez um roteiro para um filme chamado Blond Ambition, que narra os esforços de Madonna nos anos 1980 para gravar seu primeiro álbum. Assim que soube que o texto havia sido comprado, Madonna chegou a dizer que "só ela saberia contar sua história" e demonstrou desejo de ser a diretora de sua própria cinebiografia.