PUBLICIDADE
Topo

Trailer de "Cemitério Maldito" mostra que às vezes é melhor estar morto; assista

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

07/02/2019 12h03

"Cemitério Maldito", uma das obras mais célebres de Stephen King, está de volta aos cinemas. O remake do clássico do terror ganhou um novo trailer nesta quinta-feira (7), que mostra uma mudança radical em relação ao filme original. A estreia está marcada para 9 de maio.

No filme, somos apresentados à família Creed, liderada por Louis (Jason Clarke) e Rachel (Amy Seimetz). O casal e os dois filhos fogem da cidade grande após uma crise no casamento e se mudam para uma ampla casa no interior dos EUA.

Cartaz de "Cemitério Maldito" - Divulgação - Divulgação
Cartaz brasileiro do remake de "Cemitério Maldito"
Imagem: Divulgação

No entanto, o novo vizinho da família, Jud (John Lithgow), explica que o local que eles escolheram para reconstruir sua vida fica bem ao lado de uma floresta com possíveis propriedades sobrenaturais. Como mostra o trailer, "às vezes é melhor estar morto".

O "Cemitério Maldito" do título é um local onde crianças que viveram na região enterraram os seus animais de estimação, normalmente atropelados pelos caminhões que passam à toda pela estrada ao lado da nova casa dos Creed.

O remake tem direção de Kevin Kölsch e Dennis Widmyer, dupla do elogiado terror independente "Starry Eyes". O roteiro ficou por conta de David Kajganich ("Um Mergulho no Passado") e Jeff Buhler ("O Último Trem").

A primeira versão para os cinemas de "Cemitério Maldito" foi lançada em 1989. Com direção de Mary Lambert e performance memorável de Miko Hughes na pele do filho pequeno dos Creed, Gage, o longa ainda ganhou uma sequência em 1991.

"Toda nossa intenção com o filme é fazer com que as pessoas pensem. Fazer um filme que irá assustar os adolescentes porque é sobrenatural e tem personagens clássicos como Pascow e Zelda. Mas também algo que assustará os pais, devido ao que acontece no filme. 'Cemitério Maldito' realmente sempre funcionou nestes dois níveis. É um filme bastante maduro e psicológico. Ele é sobre a emoção humana tanto quando sobre os sustos e o terror", diz Kölsch no material de divulgação do filme.