Topo

Filmes e séries


Rami Malek diz que trabalhar com Byan Singer "não foi agradável"

Rami Malek em "Bohemian Rhapsody" (2018) - Divulgação
Rami Malek em "Bohemian Rhapsody" (2018) Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

02/02/2019 15h39

Conforme "Bohemian Rhapsody" se aproxima da disputa pelo Oscar, Rami Malek vem falando mais abertamente sobre sua experiência de trabalho ao lado de Bryan Singer, o diretor que foi demitido do filme na reta final das filmagens e é acusado de abusar sexualmente de menores de idade.

Durante o festival de cinema de Santa Barbara, na Califórnia, o ator comentou as alegações contra o cineasta e ainda aproveitou para falar de sua experiência de trabalho com ele - que não foi "nada agradável", nas palavras de Malek.

"Meu coração está com qualquer um que tenha passado por qualquer experiência dessa", disse o artista, segundo a revista "The Hollywood Reporter". É horrível que isso aconteça, eu compreendo o que eles passaram e o quão difícil isso deve ter sido para eles. Que isso ainda exista depois do #MeToo, é uma coisa horrível".

Em seguida, Malek fez uma menção aos problemas que teve com Singer nos bastidores de "Bohemian Rhapsody". "Eu falei aqui sobre como todos merecem ter voz, e qualquer um que queria falar sobre o que aconteceu com Bryan merece ter sua voz ouvida. A minha situação com Bryan não foi agradável, nem um pouco. E isso é tudo que posso dizer neste momento".

"Para quem esteja procurando algum consolo nisso, Bryan Singer foi demitido. Bryan Singer foi demitido, e eu acho que ninguém esperava isso, mas era o que tinha que acontecer - e aconteceu".

Na imprensa especializada internacional, circulam rumores de que Malek foi o principal fator por trás da demissão de Singer. O ator teria se irritado com as faltas do diretor e reclamado formalmente sobre sua falta de profissionalismo. Singer acabou demitido em dezembro de 2017, e Dexter Fletcher completou o filme.