Topo

Globo de Ouro


Excluído de discursos, diretor de "Bohemian Rhapsody" celebra no Instagram

O cineasta Bryan Singer  - Jason LaVeris/FilmMagic
O cineasta Bryan Singer Imagem: Jason LaVeris/FilmMagic

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

07/01/2019 13h17

Bryan Singer resolveu usar o Instagram para celebrar as vitórias de "Bohemian Rhapsody" no Globo de Ouro 2019. A produção, que surpreendeu ao levar as estatuetas de melhor filme dramático e melhor ator (Rami Malek), leva o seu nome na direção, embora o cineasta tenha sido demitido na metade das filmagens.

O nome de Singer foi evitado pelos produtores e astros do filme conforme eles agradeciam às vitórias no palco do Globo de Ouro neste domingo (6), mas o diretor postou uma foto sua no set com uma legenda simples: "Que honra. Obrigado".

Singer foi substituído por Dexter Fletcher ("Voando Alto") durante as filmagens, mas manteve o crédito final. Reportagens dão conta que os atrasos do cineasta para chegar ao set e os conflitos com o astro Rami Malek renderam sua demissão, mas Singer insiste que se afastou para cuidar de um de seus pais, que estava doente.

What an honor. Thank you #HollywoodForeignPress

Uma publicação compartilhada por Bryan Singer (@bryanjaysinger) em

Além da polêmica em torno do motivo da demissão de Singer de "Bohemian Rhapsody", o cineasta enfrenta outra controvérsia: dias depois de seu afastamento do filme, Singer foi processado pelo estupro de um rapaz de 17 anos durante uma festa em 2003. O diretor nega as acusações.

Conhecido também por assinar filmes da franquia "X-Men", Singer já foi acusado antes de ofensas sexuais similares. Em 1997, o diretor foi denunciado por exigir que jovens atores ficassem nus durante teste de elenco para o filme "O Aprendiz"; já em 2014, foi processado por um homem que disse ter sido estuprado pelo cineasta quando era adolescente.