Topo

Filmes e séries

Por que Bryan Singer foi contratado -e depois demitido- de "Bohemian Rhapsody"

Jason LaVeris/FilmMagic
O cineasta Bryan Singer Imagem: Jason LaVeris/FilmMagic

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

31/10/2018 11h50

Quando "Bohemian Rhapsody" aportar nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (1), será com o nome de Bryan Singer como diretor - mas o americano, conhecido por assinar vários filmes da saga "X-Men", foi na realidade demitido pelo estúdio semanas antes do fim da produção.

Embora o longa tenha sido finalizado por Dexter Fletcher ("Voando Alto"), Singer manteve o crédito de direção por ter filmado mais de dois terços do material. A demissão aconteceu em dezembro do ano passado, quando Singer pediu que uma pausa fosse feita na produção e a Fox negou.

Singer embarcou em um avião para fora do Reino Unido, onde o longa estava sendo filmado, mesmo assim. Segundo ele, o motivo era uma emergência de saúde de sua mãe, de 85 anos de idade, que vive em Nova Jersey - fontes da "The Hollywood Reporter", no entanto, relatam que o cineasta foi, ao invés disso, para Los Angeles.

LEIA TAMBÉM

A "deserção" de Singer, no entanto, foi só a gota d'água para um estúdio e uma equipe que estavam exaustos com o comportamento errático do diretor. A Fox, que também banca os filmes da franquia "X-Men", sabia dos problemas causados por Singer em outros sets de filmagem, mas deu a luz verde para o projeto graças à paixão do diretor por ele.

Segundo diversas fontes do estúdio, a CEO Stacey Snider teve uma reunião com Singer dias antes do início das filmagens. "Não viole as leis. Vá para o trabalho todos os dias. Se você não fizer isso, tomaremos providências", disse a executiva.

O aviso não adiantou muito. Relatos do set dão conta que Singer chegava para o trabalho atrasado quase todos os dias, deixando os seus atores esperando por horas após passar por exaustivo processo de maquiagem.

Além disso, Singer comandava de fato apenas algumas cenas por dia, deixando o restante do trabalho para o diretor de fotografia Newton Thomas Sigel. É um "esquema" que Singer e Sigel já usaram em outros filmes, incluindo os de "X-Men".

O comportamento do cineasta elevou os ânimos do elenco. Tom Hollander, que interpreta o empresário Jim Beach, chegou a se demitir por alguns dias, antes de ser convencido pelo estúdio a retornar às filmagens.

O principal conflito de Singer foi com o astro Rami Malek, que interpreta Freddie Mercury. Conhecido nos bastidores de Hollywood por seu temperamento tranquilo, Malek se irritou com Singer e, após gritar com ele, precisou se desviar de um pedaço de equipamento elétrico jogado pelo cineasta.

Embora as previsões de bilheteria para "Bohemian Rhapsody" sejam positivas, um funcionário da Fox que não quis se identificar disse ao "The Hollywood Reporter" que Singer "não vale o risco". "Nós trabalhamos com vários artistas cujo comportamento é difícil. Alguns valem a pena, outros não. Eu não acho que podemos continuar dizendo que Bryan vale", comentou.

Singer, que também tem denúncias de abuso sexual pesando contra ele, já tem um próximo projeto: ele deve dirigir e escrever "Guerreiros de Fogo".