PUBLICIDADE
Topo

Cinemas não voltarão a 'ritmo normal' antes de 2022, diz CEO da Cinemark

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 13h28

Mark Zoradi, o chefe da rede Cinemark, acredita que os cinemas não voltarão a operar em seu "ritmo normal" de arrecadação antes de 2022. O executivo fez a estimativa durante conferência com acionistas por telefone, realizada na manhã de hoje, segundo o Deadline.

De acordo com Zoradi, mesmo que os cinemas reabram nos próximos meses com a amenização da crise do novo coronavírus, será difícil atrair o público de volta às salas no mesmo volume que se via antes. Parte do problema é a escassez de novas produções.

"Os estúdios tiveram que se adaptar, e mudar datas de lançamento. Não tem a ver especificamente com a distribuição, e sim com a produção", disse. "Devemos ter uma boa recuperação no ano que vem, mas ainda não será um retorno ao normal".

'Mulan' e mais

Zoradi disse que estúdios não devem se preocupar com resultados de bilheteria de filmes como "Mulan" e "Tenet", que estão marcados para estreias em julho. "A responsabilidade de criar um ambiente seguro, em que as pessoas se sintam confortáveis para ir ao cinema, é nossa", garantiu.

Uma das ideias de adaptação para o mundo pós-coronavírus é reformatar os lançamentos. "É possível que os longas tenham menos bilheteria por fim de semana, mas fiquem muito mais tempo em cartaz", disse Sean Gamble, diretor financeiro da Cinemark.

A empresa também está reconsiderando a "janela" tradicional entre o lançamento nos cinemas e a disponibilização de filmes para streaming ou locação online. De acordo com o executivo, o prazo de 74 dias pode ser repensado após o fim da pandemia.

Filmes e séries