PUBLICIDADE
Topo

40% dos cinemas na China podem falir após fechamento por coronavírus

17.janeiro.2010 - Espectadores chineses assistem a uma versão em 3D do filme "Avatar"  - AFP/Getty Images/NYT
17.janeiro.2010 - Espectadores chineses assistem a uma versão em 3D do filme 'Avatar' Imagem: AFP/Getty Images/NYT

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 11h13

Um novo estudo da China Film Association, organização da indústria cinematográfica chinesa, trouxe números preocupantes para a reabertura das salas de cinema após a pandemia do novo coronavírus. As informações são da Variety.

De acordo com o levantamento da associação, até 40% dos cinemas de toda a China podem ter falido durante o período de fechamento, que começou no país em 23 de janeiro. Este número representaria uma perda de 5 mil cinemas e quase 28 mil salas no território chinês.

Agravamento

Os novos números indicam uma piora da situação já reportada em abril pela firma de consultores Artisan Gateway. Naquele mês, a previsão era de que 2.300 cinemas e 12 mil salas fossem fechadas permanentemente na China.

Teoricamente, os cinemas e teatros do país podem reabrir desde 8 de maio, quando o governo federal liberou uma decisão permitindo atividades de entretenimento. No entanto, os proprietários precisam passar por processos burocráticos regionais e municipais antes de abrir as portas de fato.

O processo lento ainda é restrito a regiões com os menores índices de contaminação, o que exclui boa parte dos grandes centros urbanos do país.

Previsão

A China Film Association ainda previu que, caso os cinemas voltem ao funcionamento normal no mês que vem, o ritmo de arrecadação nas bilheterias deve se estabilizar só daqui há seis meses.

Esta situação levaria a uma queda de 66% na arrecadação anual — de US$ 9,1 bilhões em 2019 para US$ 3,05 bilhões este ano.

Filmes e séries