PUBLICIDADE
Topo

Artistas destacam função social de lives durante pandemia do coronavírus

Do UOL, em São Paulo

08/05/2020 13h36

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, as lives têm desempenhado um importante papel no entretenimento de quem fica em casa, seguindo as medidas de isolamento social. Mas para o cantor sertanejo Luciano, da dupla com Zezé di Camargo, é preciso destacar a função social das apresentações online, que arrecadam recursos enquanto conscientizam espectadores.

"A participação do público é o mais importante. É triste ver que uma ferramenta assim venha se tornar popular por causa de uma pandemia, de uma crise", disse o músico durante o UOL Debate de hoje, que discutiu o futuro dos shows após a pandemia da covid-19.

"Por outro lado, mostra como é importante esse trabalho social. Hoje, com a tecnologia, as doações são diretas, não demoram para chegar a quem precisa. Estou desde anteontem ligando para amigos e empresários doarem durante a live [em referência à apresentação que a dupla Zezé di Camargo & Luciano fará depois de amanhã]. Eu acho que esse trabalho é o mais importante. Usar sua imagem junto com uma empresa e uma marca, mas que o foco continue sendo social. Não estou levantando bandeiras, é o que eu sinto como pessoa, cidadão, empresário e artista", defendeu.

O programa de hoje reuniu ainda o cantor Xand Avião, o publicitário e empresário Pedro Tourinho, que trabalha com artistas como Anitta e Silva, além de Sandra Jimenez, diretora de parcerias musicais do YouTube para a América Latina. A mediação do bate-papo ficou por conta da jornalista Liv Brandão, editora de Entretenimento do UOL.

Para Xand, o isolamento do atual momento fez com que os artistas tivessem que se reinventar.

"A gente tem uma equipe muito grande. São duas bandas, fora a minha. O público só vê o artista, mas por trás tem músicos, técnicos, secretários. Até agora, estamos segurando todo mundo", disse ele, que mantém a equipe empregada.

"Eu tinha 36 shows marcados para o São João, melhor época, e cancelaram todos. Foi uma queda de 100%. A gente tem uma equipe em Fortaleza voltada para os freelancers que são os que sofrem mais. Fizemos uma doação para essa galera. Todo mundo está passando por uma crise que não esperava, mas temos que ajudar essas pessoas com certeza."