PUBLICIDADE
Topo

Lady Gaga fez álbum como escape para depressão: 'Dançando até a dor passar'

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

16/03/2020 10h05

Lady Gaga gravou o seu novo álbum, "Chromatica", como uma "válvula de escape" para a dor física da fibromialgia e a depressão. Em nova conversa com a revista Paper, a popstar revelou o processo por trás do disco que seria lançado no dia 10 de abril, mas foi adiado por causa da pandemia do coronavírus.

"Em muitos dias, eu não conseguia sair do sofá, porque estava com dor no corpo todo", contou. O produtor Bloodpop, que ela define como o "centro" do seu novo álbum, a ajudou nestes momentos: "Ele dizia: 'Vamos lá. Vamos fazer música'".

"Eu ficava chorando ou desabafando sobre algo que tinha acontecido, minha dor, minha depressão. Eu começava o dia mal, mas até o fim dele estava dançando e olhando no espelho, praticando a coreografia. Todo dia foi uma experiência iluminadora", comentou ainda.

Gaga foi diagnosticada com fibromialgia em 2017, após anos sem entender porque seu corpo doía tanto ao sinal de qualquer estresse psicológico. "Muita gente não acredita nessa doença", admitiu ela. "Eles chamam de dor neuropática. Quando meu cérebro se estressa, meu corpo dói".

A cantora lida com a depressão desde os 19 anos, quando foi abusada sexualmente por um produtor cujo nome ela nunca revelou. "Eu tenho depressão clínica. Há algo errado no meu cérebro, ele não libera a dopamina e a serotonina do jeito certo, e às vezes eu não consigo ser feliz. Se alguém me diz 'só seja feliz', eu respondo: 'você que seja feliz, p*rra'", contou.

No entanto, com o novo disco, Gaga quer pregar uma "aceitação radical" das circunstâncias de cada um. "Estou dançando até a dor passar. Eu farei tudo o que puder para colocar o mundo para dançar. Eu quero lançar um álbum que force as pessoas se alegrarem mesmo nos momentos mais tristes", definiu.

"Eu não estou aqui dizendo que está tudo ótimo, ou que estou curada. Não estou. É uma luta sempre. Dá muito trabalho sempre. Eu tenho dias ruins e dias bons", garantiu. "Se você está escutando essas músicas e está com dor, saiba que eu sei como é isso. E eu sei como fazer para não deixar a dor acabar com a sua vida".

Gaga acredita que a inspiração para o "Chromatica", aliás, foi divina. "Eu abri o portão para outra realidade, e ouvi o que Deus estava me dizendo", comentou ela, que foi criada no catolicismo.

"Para algumas pessoas, pode ser que isso soe muito excêntrico, mas eu sempre soube que meu talento não pertencia a mim", contou ainda. "Eu me lembro que, quando era criança, ouvia melodias na minha cabeça e corria para o piano".

Na entrevista, a cantora ainda revelou que o disco terá uma parceria com outra grande popstar, sem revelar o nome dela. "Nós sentamos e conversamos sobre nossas vidas. Ficamos falando sobre como seguir nossas vidas e ser gratas pelo que temos, mesmo em momentos difíceis", disse Gaga.