PUBLICIDADE
Topo

Kumail Nanjiani levou choques no bíceps para ficar fortão em 'Os Eternos'

Kumail Nanjiani mostra físico para Os Eternos, da Marvel - Reprodução/Instagram
Kumail Nanjiani mostra físico para Os Eternos, da Marvel Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

11/03/2020 04h00

Kumail Nanjiani, que vai interpretar o herói Kingo em "Os Eternos", da Marvel, revelou para a Men's Health detalhes da sua transformação física para o papel. Em dezembro, o ator conhecido por "Silicon Valley" chocou ao revelar seu novo visual "bombado" no Instagram.

A jornada não foi fácil, como ele contou à revista: doze meses de alimentação restrita, sessões na academia em que ele "passou perto de vomitar" e até terapia de eletrochoque em seus bíceps para eles "crescerem mais rapidamente".

"No começo, quando ele chegava da academia, não conseguia se focar em nada. Ele parecia uma pessoa normal, mas não conseguia manter uma conversa coerente. Por mais ou menos uma hora, ele precisava se ajustar de volta ao mundo real", disse a mulher do ator, a roteirista Emily V. Gordon.

Aos poucos, ele percebeu que precisava "mudar a sua filosofia" em relação à dor se queria que o regime de exercícios desse certo. "Nós somos desenhados para evitar a dor, mas se exercitar de verdade é sobre perseguir a dor, querer a dor", comentou.

Apoio da Marvel e autoestima

A Marvel, que deve lançar "Os Eternos" nos cinemas em novembro deste ano, ajudou (e muito) Nanjiani nesta transformação. Quando ele se comprometeu com o papel, respondeu um questionário sobre seus gostos culinários e passou a receber refeições pré-selecionadas.

"Eles me diziam: 'Se você tomar uma lata de Coca-Cola hoje, nos avise, que precisamos nos ajustar para isso'", lembrou. Após um tempo, no entanto, "escapar" do regime deixou de ser uma boa ideia: "Meu corpo se acostumou. Se eu comesse um pudim, passava 12 horas com dores".

O ator também se abriu sobre os seus problemas de autoestima na entrevista. "Eu não quero fingir que tenho problemas realmente debilitantes de dismorfia corporal, porque muita gente sofre com isso. Mas me olhar no espelho nem sempre é fácil", confessou, se referindo a transtornos mentais em que o indivíduo fica fixado em defeitos pequenos ou imaginários do corpo.

"Se eu olho uma vez e vejo meu abdômen mais definido, na próxima vez que olho eles não estão mais lá. Foi só quando postei as fotos no Instagram e recebi as reações que isso mudou um pouco. Estou trabalhando em pegar mais leve comigo mesmo", disse.

"A ideia é que o tempo na academia me dê mais energia para fazer as outras coisas que eu amo. As pessoas me perguntam: 'Você acha que é mais intimidador agora?'. Cara, não. Estes músculos são inúteis e decorativos", brincou ainda.