PUBLICIDADE
Topo

Música


Mulher diz que James Brown foi assassinado; polícia pode abrir investigação

James Brown se apresenta no sorteio da Copa de 1994, em Los Angeles, EUA - Shaun Botterill/ALLSPORT
James Brown se apresenta no sorteio da Copa de 1994, em Los Angeles, EUA Imagem: Shaun Botterill/ALLSPORT

Do UOL, em São Paulo

13/02/2020 20h08

O mistério em relação à morte do lendário cantor James Brown ganhou um novo capítulo. Uma mulher que conhecia o artista entregou algumas pistas que acredita serem possíveis evidências do crime.

Um porta-voz do condado de Fulton confirmou ao site TMZ que Jacque Hollander se encontrou, ontem, com o procurador do distrito de Fulton Paul Howard e lhe entregou uma caixa cheia de supostas provas.

O procurador, agora, direciona investigadores para entrevistar Hollander e analisar os itens apresentados. Se comprovada a relevância do material, Howard disse estar aberto a iniciar uma investigação da morte em larga escala.

O cantor, conhecido como "o pai do soul", morreu em 2006, aos 73 anos, em um hospital de Atlanta. O atestado de óbito cita um ataque cardíaco e líquido nos pulmões como causa da morte.

Em 2019, uma reportagem da CNN mostrou relatos de pessoas que acreditam que Brown não morreu de causas naturais.

Música