Topo

De casa demolida a hit no YouTube: A história de MC Caverinha, o Príncipe do Trap

MC Caverinha, o príncipe do trap, lançou o clipe Favelado Também Pode - Alexandre Santos/Divulgação
MC Caverinha, o príncipe do trap, lançou o clipe Favelado Também Pode Imagem: Alexandre Santos/Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

05/07/2019 04h00

No ano passado, Kauê de Queiroz Benevides Menezes, 11, e sua família sofreram um duro golpe da vida. Eles não sabiam que a casa onde moravam em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, estava em um terreno irregular. Ela foi demolida.

A polícia chegou com os tratores de manhã. Eles falaram que iriam derrubar tudo

Kauê tinha acabado de voltar para casa. Havia saído para comprar pão e leite. "Ouvi eles dizendo que se a gente não saísse, eles derrubariam em cima da gente e depois levariam todo mundo preso", conta Kauê, por telefone, ao UOL. "Meu pai e minha mãe choraram muito. Fomos morar num quartinho na casa da minha tia."

O episódio deixou marcas em Kauê, que canalizou para a música e virou o MC Caverinha.

Junto com o irmão Kaique, 19, ele escreveu Favelado Também Pode, no qual canta que seu sonho é poder comprar uma casa para a mãe: "Um dia dou uma casa pra minha mãe / Sem precisar segurar no revólver / Fazer 2.000 de comprar lá em casa / Fazer 10k de comprar lá no shopping / Sacar meu prato na frente de um rico / E gritar: favelado também pode".

O clipe da música, lançado no último sábado (27), já entrou na lista dos mais assistidos do YouTube e ultrapassou a marca de 3 milhões de visualizações. A próxima música já está pronta e também surgiu após a demolição da casa. "Gravei junto com meu irmão, [chama] 'A Vida Ensina', que vamos lançar em breve. A música nos ajuda a superar tudo".

Nunca imaginei que as pessoas iriam querer me ver. Fiquei tão emocionado que não conseguia nem falar.

Superação

Aos poucos, Kauê está ajudando a família. Recentemente, um post seu no Facebook viralizou com a história de que, com o dinheiro que ganha nos shows, sua mãe não precisa mais trabalhar no lixão nos arredores de Mogi das Cruzes, onde eles ainda vivem.

"As pessoas gostam de hip-hop e me escutam. Hoje eu mesmo posso botar comida na nossa mesa. Mãe, a senhora não precisa mais disso", escreveu Caverinha, que vive com a mãe, o pai e os cinco irmãos Kaique, 19, Laiza, 16, Kauã, 14, Kelvin, 7, e Kassyo, 4.

No fim de abril, MC Caverinha participou também do quadro Se Vira nos 30 do Faustão cantando trap e ganhou o prêmio de R$ 50 mil. "O dinheiro ajuda muito, mas ainda não compramos a casa", diz o garoto. "Minha mãe e meu pai me ensinaram a nunca pegar nada de ninguém, nem fazer nada errado e que todos temos que lutar pelos nossos irmãos".

Príncipe do Trap

O interesse pela música surgiu por meio do irmão mais velho. "Ele já cantava trap. Um dia, eu pedi para dançar e cantar com ele. A gente fez um vídeo e postou no YouTube e viralizou", lembra Caverinha. O nome artístico surgiu por acaso, quando ele usou uma fantasia de esqueleto que ganhou da tia e o pai o chamou de Caverinha.

Mas MC Caverinha não versa apenas sobre os problemas da vida. Como toda criança, ele gosta de brincar e também canta sobre isso, além de falar de seus tênis "da hora".

Em Só Não Pisa no Meu Boot ele canta que podem até pisar no seu coração, só não podem pisar no seu tênis. O clipe, lançado em abril, já tem mais de 16 milhões de visualizações e ganhou até coreografia do grupo Fit Dance. "Tenho mais 50 tênis", conta.

Com touca na cabeça, óculos escuros, relógios e colares, Kauê também não descuida do visual e ganhou o apelido de Príncipe do Trap, também pelo estilo musical que gosta de cantar e dançar, influenciado por artistas como Roddy Ricch, YNW Melly e Lil Pump.

"Quando eu sou Kauê, eu gosto de empinar pipa, jogar bola e basquete. Mas quando eu estou no palco, eu sou o Caverinha, e eu me envolvo e presto atenção no meu trabalho", diz o cantor, que já se apresentou no Rio de Janeiro, Sorocaba e tem shows marcados em Florianópolis.

Kauê é brincadeira, Caverinha é show.

Neste mês de julho, ele está de férias da escola, e não deixa de pensar no futuro. "A matéria que eu mais gosto é inglês. Quero aprender a cantar todas as letras dos meus artistas favoritos e saber falar quando eu viajar para fazer show lá fora".

Aos 11 anos, MC Caverinha canta seus traps em shows lotados - Alexandre Santos/Divulgação
Aos 11 anos, MC Caverinha canta seus traps em shows lotados
Imagem: Alexandre Santos/Divulgação

Mais Rap nacional