Topo

La Casa de Papel


"Matriarca" de La Casa de Papel, Nairóbi não se vê como um ícone feminista

Renata Nogueira

Do UOL, em Madri (Espanha)*

01/07/2019 04h00

Empieza el matriarcado! A frase que encerra o 3º episódio da 2ª parte de La Casa de Papel, série da Netflix que virou sensação mundial, marca não apenas o início da liderança de Nairóbi ao assalto à Casa da Moeda espanhola, mas também um símbolo do poder feminino.

A fala da personagem de Alba Flores, que em português significa "começa o matriarcado", repercutiu tanto quanto a série espanhola. Ela caiu nas graças dos fãs e foi parar até em estampas de camisetas, canecas, almofadas e mais itens de cultura pop. Ainda assim, Alba não atribui o sucesso apenas a Nairóbi.

A atriz conversou com o UOL durante as gravações da terceira parte de La Casa de Papel, em Madri, na Espanha, e comentou a repercussão da cena.

Eu sou uma feminista, mas não poderia nem sonhar com o que aconteceria depois daquela frase. Para mim foi um presente, pois me dei conta que aquilo fazia sentido para muitas mulheres no mundo.

Camiseta com frase icônica da personagem Nairobi - Jenifer Prince para Chico Rei
Camiseta com frase icônica da personagem Nairobi
Imagem: Jenifer Prince para Chico Rei

Apesar do orgulho, Alba pondera sobre o papel que exerce. "Eu tomo muito cuidado com essa coisa de ícone feminista."

"O movimento, o feminismo, não precisa de um ícone [...] Somos todas irmãs, ninguém é um ícone", conclui, antes de ganhar um abraço de sua colega de elenco, a popularíssima Tóquio, interpretada por Úrsula Corberó.

Matriarca do assalto

Desde o início do plano para invadir a Casa da Moeda, na primeira parte de La Casa de Papel, é evidente o senso de liderança e a vontade de Nairóbi para que tudo ocorra como planejado pelo Professor, que acompanha tudo de fora.

Só que o líder do grupo, Berlim, passa a descumprir algumas regras pré estabelecidas, causando desentendimentos entre os assaltantes. É aí que Nairóbi protagoniza a cena que ficou famosa e comunica o Professor por telefone sobre a nova liderança.

Alba Flores, a Nairobi, em cena da terceira parte de La Casa de Papel, da Netflix - Tamara Arranz/Netflix
Alba Flores, a Nairobi, em cena da terceira parte de La Casa de Papel, da Netflix
Imagem: Tamara Arranz/Netflix

Pouco se sabe sobre o papel de Nairobi na terceira parte da série. Em Madri, enquanto finalizava as gravações, o elenco estava orientado a segurar os spoilers da terceira parte. É fato, porém, que ela volta a se reunir com o bando que invadiu a Casa da Moeda para invadir agora o Banco da Espanha.

Sem Berlim, que só deve aparecer em flashbacks, a liderança de Nairobi seria natural, mas vale lembrar que o grupo ganha novos integrantes nos próximos episódios, entre eles a inspetora Raquel, agora sob o codinome Lisboa.

Nairobi aproveitará seus euros na 3ª parte da série - Divulgação/Netflix
Nairobi aproveitará seus euros na 3ª parte da série
Imagem: Divulgação/Netflix

Do que já vimos nas prévias, Nairóbi vai curtir a vida pelo mundo ao lado do amigo Helsinki depois de pegar sua fatia dos milhões de euros fabricados por eles. Uma incógnita ainda é seu filho, uma das motivações para ela participar do assalto. Existe a expectativa entre os fãs da personagem de que a criança apareça nos próximos episódios e revele um lado ainda pouco conhecido da personagem.

A terceira parte de La Casa de Papel estreia em 19 de julho e uma quarta também já está confirmada pela Netflix.

*A jornalista viajou a convite da Netflix

Mais La Casa de Papel