Topo

Pop


Madonna: Clipe God Control é criticado por sobrevivente de tiroteio em boate

Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

27/06/2019 10h02

O clipe para God Control, de Madonna, traz representações do tiroteio em uma boate gay dos Estados Unidos, a Pulse, que chocou o mundo. E, apesar do alerta para que isso não ocorra novamente, a narrativa criada pela estrela pop foi criticada por uma sobrevivente da tragédia, que se disse "traumatizada" ao ver o episódio ser usado pela cantora.

Em entrevista ao TMZ, Patience Carter opinou sobre o que viu. No clipe lançado ontem, é simulado um ataque em massa. Para Carter, ver cenas que lembravam tão vividamente o ocorrido a levaram para um lugar sombrio de sua mente.

"Como uma sobrevivente, foi muito difícil assistir ao clipe. Eu entendi que ela estava tentando trazer atenção para o que aconteceu. Mas acho que não foi da forma correta, pois para alguém como eu, que vi as imagens e vivi essas imagens reais, vê-las de novo, dramatizada para visualizações, achei bastante insensível. É preciso pensar em quem estava lá. Nós, ao vermos o clipe, estamos vivendo isso de novo, relembrando toda aquela dor", disse ela.

"O clipe é grosseiramente similar ao que ocorreu naquela noite. Se eu não fosse forte como sou, se não tivesse bem, eu não teria conseguido chegar ao fim do dia bem", completou.

Patience ainda pede para que o aviso que antecede o clipe seja mais claro sobre os perigos de se assistir às imagens e quer um pedido de desculpas de Madonna.

Acompanhando a letra politizada, que pede por maiores restrições na venda de armas de fogo, o vídeo inclui uma cena em que a popstar e vários amigos são vítimas de um tiroteio em uma boate. "Eu tentei trazer [no clipe] o mundo da discoteca, e da liberdade, e então fazer tudo isso ser silenciado por uma coisinha pequena de metal, que pode acabar com a vida de alguém. Armas precisam ser ilegais", explicou Madonna, sobre o clipe.

Pop