Topo

Filmes e séries


Volta de Betty mostra a força das meninas em Toy Story 4

Divulgação/Disney/Pixar
Betty, personagem que volta a Toy Story depois de 20 anos sem aparecer na franquia Imagem: Divulgação/Disney/Pixar

Mariane Morisawa e Renata Nogueira

Colaboração para o UOL, em Emeryville (EUA), e do UOL, em São Paulo

2019-06-21T04:00:00

21/06/2019 04h00

Betty, a delicada boneca de porcelana que era o crush de Woody, sumiu em Toy Story 3 - o caubói faz referência aos brinquedos perdidos pelo caminho. Mas os vinte anos de ausência da personagem - que fez sua última aparição em Toy Story 2 (1999) - são compensados no quarto filme da franquia, que entrou ontem em cartaz.

O produtor Jonas Rivera explica a volta de Betty. "Dava para perceber que Woody tinha um pouco de remorso, algo que o incomodava nisso, e achamos que era uma oportunidade narrativa trazê-la de volta e mostrar que talvez ela não fosse o que a gente pensava", diz. O retorno da boneca é essencial para amarrar a narrativa mais adulta do novo filme.

Em Toy Story 4 o espectador conhece outra Betty: independente e tão líder quanto o caubói. "Ela sempre foi sarcástica e gostava de provocar o Woody. Então achamos que era uma boa maneira de começar a desenvolver a personagem", diz Carrie Hobson, que é "story artist" - como são chamados os roteiristas numa animação, já que o roteiro também envolve desenhos.

Montagem sobre Divulgação/Disney/Pixar
Antes e depois: Betty em Toy Story 2 (1999) e em Toy Story 4 (2019) Imagem: Montagem sobre Divulgação/Disney/Pixar

O desafio era justamente sua evolução de boneca de porcelana fixada a um abajur de bebê a um brinquedo perdido aventureiro. "Pensamos que ela podia ter sido doada, ido viver com outra criança, ou ter sobrevivido nas ruas", conta a supervisora de história Valerie LaPointe.

Mas a equipe sabia que, em algum momento, a trama iria parar num antiquário. "Parecia um lugar interessante aonde os brinquedos podiam ficar. Ali havia duas soluções: ou ela ficava contente de ter uma vida calma na prateleira, ou queria ser um brinquedo livre", afirma LaPointe. Betty então virou um brinquedo perdido - algo que Toy Story sempre mostrou como a pior coisa que pode acontecer a um brinquedo.

Divulgação/Disney/Pixar
Isa Risadinha, amiga inseparável de Betty em Toy Story 4 Imagem: Divulgação/Disney/Pixar

Para a nova fase nas ruas, o visual dela teve de ser adaptado. Sai o vestido de pastora de ovelhas, entra uma espécie de macacão com capa, mais adequado para o espírito aventureiro. A boneca espanta os obstáculos de seu caminho em um curioso gambá motorizado. E a fragilidade da porcelana é facilmente fixada com fita adesiva e remendos, com ajuda de sua amiga inseparável, Isa Risadinha, personagem secundária que rende ótimos momentos ao filme.

As profissionais responsáveis pela personagem repaginada ficaram bastante satisfeitas com o resultado. "Para Betty é a vida perfeita", conclui LaPointe. Hobson completa: "Ela, que sempre foi considerada um brinquedo de menina, está definindo sua vida em seus próprios termos agora e pode ser o brinquedo que quiser."

Evolução natural

Mas Betty não é a única representante da força feminina em Toy Story 4. Woody, com seu intocável espírito de liderança, ganha logo no início do filme um chega pra lá da boneca de pano Dolly, a líder dos brinquedos de Bonnie.

O caubói também sofre ao ser preterido pela garotinha, que prefere brincar com Jessie, a versão feminina dele. E até mesmo a grande vilã de Toy Story 4 é uma menina: a boneca antiga Gabby Gabby.

Com os sutis (e outros nem tanto) momentos que dão mais destaque às meninas, Toy Story 4 prova que até mesmo uma animação pode se adaptar aos novos tempos, embora o diretor Josh Cooley afirme que a maior presença feminina seja algo natural para a evolução da franquia.

Divulgação/Disney/Pixar
A vilã Gabby Gabby, outra boa surpresa de Toy Story 4 Imagem: Divulgação/Disney/Pixar

"Foi uma coincidência. Nós não tínhamos esse objetivo, Betty sempre ia ser uma parte importante do filme. É ela quem volta à vida de Woody e faz com que ele pare, ouça e preste atenção em algo realmente importante. Queríamos que ela estivesse em pé de igualdade com Woody", explica.

Já o produtor Jonas Rivera admite que a equipe, claro, está atenta ao que acontece no mundo. Mas que o essencial sempre será uma boa história, independente de seus protagonistas.

"Estamos felizes que esta discussão esteja acontecendo. Mas havia aqui uma oportunidade de trazer de volta essa boneca de porcelana e mostrar que talvez ela não seja bem o que pensávamos. Que ela tivesse profundidade e nuance. Não queremos fazer declarações, apenas contar uma boa história. E ela era fundamental para isso."