Topo

Serguei, ícone do rock brasileiro, morre aos 85 anos

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

2019-06-07T12:39:01

07/06/2019 12h39

O músico Serguei, o Divino do Rock, morreu na manhã de hoje aos 85 anos. Ele estava internado em um Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Regional do Médio Paraíba (Zilda Arns), em Volta Redonda, no Sul Fluminense. A informação foi confirmada ao UOL pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

O corpo do artista será levado para Saquarema, na Região dos Lagos, onde será enterrado. A prefeitura do município declarou luto oficial de três dias e informou que o Templo do Rock, a casa-museu do artista, ficará designado à Secretaria Municipal de Educação e Cultura para coordenar as ações de preservação, mantendo-o como patrimônio cultural do município.

O cantor permaneceu internado no Nossa Senhora de Nazaré, distrito de Bacaxá, em Saquarema, por 22 dias antes de ser transferido para o hospital de Volta Redonda, no dia 29 de maio. Ele tinha dado entrada na unidade com quadro de desidratação, pneumonia e infecção urinária.

O amigo de Serguei, Carlos Loeffler foi a última pessoa a visitar o artista. Ele esteve ontem no hospital e deixou o local bastante abalado. "Está muito difícil para mim. Ontem, depois da visita, eu soube que ele estava indo embora. Ele estava muito abatido e magro", afirmou.

Na visita, Carlos disse que cantou "(I Can't Get No) Satisfaction", dos Rolling Stones, e Serguei reagiu balançando as mãos e os pés. O artista, no entanto, não conseguiu falar porque estava entubado.

"Mostrei também alguns vídeos no celular. Foi uma 'festa' a visita", contou. "Serguei foi um cara queridíssimo, sensacional. Foi um pai para mim. Me identifiquei totalmente com ele. Uma paixão à primeira vista", completou.

Em 2015, a reportagem do UOL visitou o Templo do Rock, em Saquarema, para conversar com o artista sobre três filmes que estavam sendo feitos sobre sua vida. Na ocasião, o cantor disse que esperava viver até os 100 anos e não reclamava da idade e, sim, da velhice. "A velhice é uma merda", afirmou.

Divino do rock

Sérgio Augusto Bustamante nasceu em 8 de novembro de 1933. Filho de um executivo da IBM, Domingos Bustamante, ele teve um amigo russo na infância que o chamava de Serguei e o apelido acabou pegando. Morou com a avó paterna em Nova York, nos Estados Unidos, quando ainda era adolescente e participou de festivais estudantis.

De volta ao Brasil, trabalhou em bancos e como comissário de bordo. No retorno aos Estados Unidos, iniciou sua carreira na música e esteve no famoso Festival de Woodstock, em 1969. O cantor afirmava que teve um relacionamento amoroso com a cantora Janis Joplin no final daquele ano.

Quando Janis Joplin visitou o Brasil em 1970, Serguei foi uma das pessoas que acompanharam a artista no Rio de Janeiro. Em 1972, Serguei mudou-se para Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro.

Em sua residência foi criado o Museu do Rock, administrado por Serguei e constituído de peças de roupas, discos, prêmios, cartazes, filmes e outros materiais sobre sua carreira. Serguei morava sozinho no Templo do Rock, onde recebia diariamente amigos e turistas e recebe uma mesada da prefeitura para manter o museu.

Em 2013, Serguei desfilou pela escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel no enredo que contava a história do Rock in Rio.

Conhecido como "O Divino do Rock", ele lançou oito compactos simples, um LP e dois CDs entre 1966 e 2009 e chegou a tocar no Rock in Rio II (1991) e Rock in Rio III (2001). Serguei continuou ativo na música até o final de 2018, tocando com sua banda Pandemonium.

Serguei não deixa herdeiros.

Mais Rock