Topo

Pop


Madonna critica matéria no "New York Times" e diz que se sentiu "estuprada"

Madonna posa para a Vogue britânica - MERT ALAS & MARCUS PIGGOTT/Vogue
Madonna posa para a Vogue britânica Imagem: MERT ALAS & MARCUS PIGGOTT/Vogue

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

06/06/2019 15h10

Madonna não gostou do teor de seu mais recente perfil na imprensa norte-americana, mais especificamente no jornal "The New York Times". A popstar usou hoje o Instagram para mostrar a sua decepção após a publicação da matéria.

"Dizer que eu fiquei desapontada com o artigo seria muito pouco. Ao que parece, é impossível consertar a sociedade e sua interminável necessidade de diminuir, insultar ou degradar aquilo que sabem que é bom. Especialmente mulheres fortes e independentes", escreveu.

A seguir, Madonna fala especificamente da jornalista que assinou o artigo, Vanessa Grigoriadis. "Ela passou dias, horas e meses comigo, e foi convidada para entrar em um mundo que nem todo mundo consegue ver, mas decidiu se focar em coisas triviais e superficiais, como a etnia da minha dublê, o tecido da minha cortina, ou comentários infindáveis sobre a minha idade, que nem seria mencionada se eu fosse um homem!", comentou.

"Mulheres às vezes sentem dificuldade de apoiar outras mulheres, mesmo quando posam como feministas intelectuais. Eu sinto muito por ter passado sequer 5 minutos com ela. Isso fez com que eu me sentisse estuprada. E sim, eu posso usar essa analogia, porque fui estuprada de verdade aos 19 anos", disse a seguir.

Madonna ainda caracterizou o "The New York Times" como "um dos fundadores do patriarcado". "Eu digo: Morte ao patriarcado, que está costurado no tecido da sociedade. Eu nunca vou parar de lutar para erradicá-lo", completou.

As únicas palavras gentis de Madonna sobre o artigo foram para o trabalho do fotógrafo JR, amigo de longa data da cantora. Madonna até postou fotos dos bastidores da sessão, incluindo um momento descontraído entre os dois.

Pop