Topo

Festival de Cannes


"A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" ganha maior prêmio da mostra paralela de Cannes

 Karim Ainouz após "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" ganhar o principal prêmio da mostra Un Certain Regard, em Cannes - REUTERS/Eric Gaillard
Karim Ainouz após "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão" ganhar o principal prêmio da mostra Un Certain Regard, em Cannes
Imagem: REUTERS/Eric Gaillard

Bruno Ghetti

Colaboração para o UOL, em Cannes (França)

24/05/2019 16h11

O filme "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão", do cearense Karim Aïnouz, ganhou o prêmio principal da mostra paralela Un Certain Regard (Um Certo Olhar), a segunda mais importante do Festival de Cannes. É a primeira vez que um filme brasileiro ganha o troféu da competição, dedicada a filmes mais arriscados que os da mostra principal.

"Estou muito orgulhoso em representar o Brasil. Agora estamos passando por um momento muito, muito difícil de intolerância", disse Aïnouz. "É um prêmio muito importante para o cinema brasileiro neste ano em que tivemos uma representação maravilhosa, com o filme do Kleber Mendonça e do Juliano Dornelles ["Bacurau"], que disputa [a Palma de Ouro] com o filme da produtora Gullane ["O Traidor", do italiano Marco Bellocchio".

Antes de qualquer coisa é importante que este prêmio de fato possa servir para incentivar o futuro do cinema brasileiro, a diversidade da cultura brasileira. E que a gente tenha um Brasil melhor que o que a gente tem agora. Queria dedicar especialmente a minha amada Fernanda Montenegro e para todas as mulheres do mundo. Karim Aïnouz

Baseado no livro homônimo de Martha Batalha, o filme se passa no Rio de Janeiro da década de 1950, narrando a história de duas irmãs de personalidades bastante distintas: Eurídice (Carol Duarte) e Guida (Julia Stockler). A primeira sonha se tornar uma grande pianista, mas se casa e o marido machista a força a se tornar dona de casa. A outra foge de casa com uma paixão irresponsável, mas é abandonada depois que engravida.

Veja o trailer de "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão"

UOL Entretenimento

Com vidas distintas, as duas se separam e perdem contato. Mas ambas sofrem diante de uma sociedade patriarcal, em que as mulheres têm uma série de limitações e papeis sociais bastante definidos. Fernanda Montenegro faz uma participação especial no longa.

Aïnouz é um dos cineastas brasileiros de maior prestígio internacional na atualidade. É famoso por filmes como "Madame Satã" (2002) e "Praia do Futuro" (2014). Antes de "Eurídice Gusmão", as produções nacionais "Eu Tu Eles" (2000), de Andrucha Waddington, e "O Sal da Terra" (2014), de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado, já haviam ganhado menções especiais na Un Certain Regard.

Amanhã à noite (na França), durante a cerimônia de encerramento do festival, serão conhecidos os filmes premiados da competição principal. O brasileiro "Bacurau", de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, disputa a Palma de Ouro, assim como "O Traidor", do italiano Marco Bellocchio, cofinanciado pela produtora brasileira Gullane.