Topo

Terror

Tudo o que você precisa saber sobre filmes, séries e livros de horror


"Brightburn": Filme sobre "Superman do mal" é criativo, sangrento e (muito) divertido

Cena do filme "Brightburn - Filho das Trevas" - Reprodução/YouTube
Cena do filme "Brightburn - Filho das Trevas" Imagem: Reprodução/YouTube

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

23/05/2019 04h00

É animador quando um filme se propõe a sair da caixinha e entrega algo novo. E a sacada do produtor James Gunn (responsável por "Guardiões da Galáxia") em "Brightburn: Filho das Trevas" é genial: juntar um filme de terror com um vilão praticamente saído dos quadrinhos de super-heróis.

A produção que chega hoje aos cinemas é um frescor perto do que vimos recentemente no gênero e, talvez, uma franquia com um "Superman maligno" pode estar apenas começando.

O enredo conta a história de Kyle (David Denman) e Tori Breyer (Elizabeth Banks), que estão tentando ter um filho. Eles clamam a Deus e a quem ouvir no universo para que consigam uma criança -- e o desejo é realizado.

Uma espécie de meteoro cruza os céus do Kansas e cai perto da fazenda do casal, trazendo um bebê. Brandon, então, é criado como uma criança comum, apesar de ter uma inteligência maior que a dos colegas, e, claro, sofrer bullying na escola por ser "esquisito".

Cena do filme "Brightburn – Filho das Trevas" - Divulgação/Boris Martin
Cena do filme "Brightburn – Filho das Trevas"
Imagem: Divulgação/Boris Martin

O segredo da família é escondido de todos, mas o que realmente é segredo (até mesmo para Brandon) é que a nave que ele chegou está trancafiada no porão do celeiro. O menino começa a se sentir diferente após o aniversário de 12 anos e incorpora o antagonista com o objetivo mais simples e clichê possível: dominar o mundo.

E se o Superman fosse vilão?

Em "Batman vs Superman: A Origem da Justiça" (2016), o temor de Bruce Wayne de que o Superman possa se voltar contra a humanidade acaba levando os dois maiores heróis da DC a se enfrentarem. Depois de algumas porradas e um momento "Martha" eles percebem que estão do mesmo lado.

Mas Brandon não é assim. Como vimos nos trailers, os poderes do garoto são parecidos com os do filho de Krypton: ele tem velocidade sobre-humana, força sobre-humana, voa, é resistente e solta laser pelos olhos. E a pior parte: não há ninguém com força semelhante para derrotá-lo.

O jovem Jackson A. Dunn, que curiosamente viveu a versão pré-adolescente de Scott Lang em "Vingadores: Ultimato", rouba a cena no filme e dá um banho de atuação perto dos colegas mais experientes. O garoto consegue ser assustador simplesmente olhando para a câmera, e a falta de emoção obrigatória por causa do personagem choca durante os 90 minutos do filme.

Alma de filme de terror

Mesmo que "Brightburn" seja mais lembrado por ser o filme do "super-herói do mal", ele é profundamente horror. O diretor David Yarovesky desce a mão no gore e traz muito sangue e cenas perturbadoras -- como um pedaço de vidro no olho que é retirado aos poucos para desespero do espectador.

Cena do filme "Brightburn - Filho das Trevas" - Reprodução/YouTube
Cena do filme "Brightburn - Filho das Trevas"
Imagem: Reprodução/YouTube

A produção, ainda que tenha um orçamento pequeno para os padrões de Hollywood (US$ 28 milhões), capricha também na maquiagem para dar um tom mais assustador. Dedos quebrados, maxilares destroçados e tripas espalhadas fazem com que o filme seja indicado para maiores de 16 anos.

As influências diversas do filme vão desde os clássicos cinematográficos "Halloween" e "Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio" passando pelo terror cósmico de H.P. Lovecraft e chegando às cenas de ação do filme da Marvel.

Yarovesky só escorrega quando tenta se apoiar nos "jump scares" (sustos fáceis) que ainda são usados ao extremo nos filmes do gênero, mas mostra criatividade com takes rápidos e câmera tremida, simulando momentos de tensão daqueles que são vítimas de Brandon.

Melhor momento para estrear

Não é surpresa que os filmes de super-heróis viraram uma aposta segura nos cinemas. O Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) construiu um império e o esperado é que outros estúdios tentem fazer o mesmo com seus recursos. A Sony Pictures já tem Homem-Aranha na manga e viu "Venom" arrecadar muito mais do que o esperado.

Por outro lado, os filmes populares de terror continuam seguindo a mesma fórmula, falando sobre casas assombrados, entidades que buscam vingança ou crianças possuídas. "Brightburn" não inventa a roda e peca nos sustos fáceis, porém a história criativa de um menino alienígena que é o "herói do mal" cativa e fica o gostinho de que uma nova franquia de terror pode surgir.

Trailer de "Brightburn - Filho das Trevas"

UOL Entretenimento

Mais Terror