Topo

Vingadores


Mark Ruffalo revela inspirações para viver Hulk e sua ideia para filme solo

Bruce Banner em cena de "Vingadores: Ultimato" - Reprodução
Bruce Banner em cena de "Vingadores: Ultimato" Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

22/04/2019 18h50

Embora a sua fama seja de vazador de spoilers, os momentos em que Mark Ruffalo demonstra ter menos papas na língua surgem mesmo quando ele discute as versões do Hulk que vieram antes dele. Em conversa com a revista "Entertainment Weekly", ele voltou a avaliar acertos e erros de seus predecessores.

Em preparação para a estreia de "Vingadores: Ultimato", na próxima quinta-feira, Ruffalo falou também sobre sua jornada dentro do universo Marvel. O ator elogiou Eric Bana (que estrelou "Hulk", em 2003) e Edward Norton (de "O Incrível Hulk", em 2008), mas disse entender por que os filmes não conquistaram o público.

"É difícil assistir a um personagem que não quer estar lá", comentou, se referindo à forma como o Dr. Bruce Banner vê suas transformações no Hulk como uma maldição. "O que eu decidi é que Bruce quer muito se juntar ao grupo [dos Vingadores], e ele quer estar onde está".

"O passado dele, e a forma como todos os outros heróis têm um pouco de medo dele, fazem com que Bruce seja o elemento mais imprevisível do grupo. Ninguém quer provocá-lo. A não ser o Homem de Ferro. Tudo o que Tony quer é ver o Hulk destruindo tudo", brincou.

Um "crianção"

Ruffalo também confirmou que uma das inspirações para viver o Hulk foi seu filho, Keen, que tinha em torno de 10 anos de idade na época em que o pai se preparava para interpretar o papel pela primeira vez, em "Os Vingadores (2012).

"Com uma criança, não existe essa história de controlar os seus impulsos. Todo mundo diz para as crianças se comportarem, mas dentro delas existe um furacão de emoções. Todo mundo diz que elas não deveriam agir de uma forma ou de outra, mas tudo o que elas querem é quebrar tudo, como o Hulk", comentou.

"Elas também têm o lado Bruce Banner, é claro. Ele surge quando elas estão no controle, e todo mundo gosta delas. Então o Hulk chega, e todo mundo começa a pensar: 'O que há de errado com você?'", continuou.

Já interpretar Dr. Banner é uma jornada diferente. "Ele tem aquele olhar cansado, e um pouco de senso de humor sobre a sua maldição. Ele aceita o que aconteceu com ele. Todo mundo tem suas maldições, e todo mundo tem que aprender a viver com elas", completou.

Hulk em cena de "Vingadores: Ultimato" - Reprodução
Hulk em cena de "Vingadores: Ultimato"
Imagem: Reprodução

O filme solo

Os direitos cinematográficos do Hulk ainda não são inteiramente da Marvel Studios. Ao invés disso, foi o estúdio Universal que "emprestou" o personagem para suas aparições nos filmes dos Vingadores e, mais recentemente, em "Thor: Ragnarok".

Caso as duas empresas consigam um dia fazer um acordo similar ao firmado pela Marvel e pela Sony para os filmes solo do "Homem-Aranha", no entanto, Ruffalo tem uma ideia para a aventura própria do Hulk.

"Bruce odeia o Hulk, ele realmente o odeia. E o Hulk tem muito ressentimento em relação a Bruce também. Ele expressou muito isso em 'Ragnarok'", explicou o ator. "Eu sempre imaginei que precisamos ter um grande confronto entre os dois".

"Eu sempre imaginei que eles se encontrariam em um espaço alternativo, onde poderiam existir simultaneamente. Uma outra dimensão. Eu sempre disse que o filme solo do Hulk deveria terminar em um confronto entre ele e Bruce", disse ainda.

"No fim das contas, a única criatura no mundo que o Hulk teme é Bruce. É claro, porque Bruce é ele mesmo, uma versão fraca dele mesmo. Uma versão vulnerável dele mesmo", completou.

Mais Vingadores