Topo

Filmes e séries


"After Life": Série de Ricky Gervais fala de depressão e luto com bom (e mau) humor

Divulgação
Ricky Gervais e elenco na série "After Life" Imagem: Divulgação

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

2019-03-14T04:00:00

14/03/2019 04h00

"After Life", que ganhou o questionável complemento em português "Vocês Vão Ter de Me Engolir" na Netflix, é escrita, dirigida e protagonizada por Ricky Gervais, um dos comediantes de maior sucesso do Reino Unido. O humorista, que ficou famoso por criar a série "The Office" (e mais tarde ganharia uma versão americana com Steve Carell), abraça profundamente o mau humor rabugento que lhe é característico, mas coloca em debate temas densos e profundos, como luto, dependência química, depressão e suicídio.

Assista ao trailer de "After Life"

UOL Entretenimento

Na série, Ricky vive Tony, um jornalista que lida com a morte de sua mulher, Lisa, vítima de câncer. Depressivo, ele se deixa invadir por um sentimento persistente e niilista. Fechado e cético com qualquer possibilidade de melhora em sua vida, ele se torna um personagem impulsivo que despeja sua raiva na sociedade através de comentários maldosos, sarcásticos e com muito mau humor, traços fundamentais do tipo de humor rabugento e debochado que Ricky construiu ao longo de seus anos como comediante de stand-up ou como polêmico anfitrião do Globo de Ouro.

Mas as pílulas de humor formam uma fina camada ao longo dos seis episódios de "After Life". A ironia dos comentários do ranzinza Tony satisfaz quem procurou na série um alívio cômico. Mas rapidamente somos envolvidos pelas questões que colocam Tony na iminência de tirar sua própria vida. A perda da mulher, a inércia do trabalho, a doença do pai, a dependência do amigo são questões que surgem diversas vezes na primeira temporada.

Os capítulos de "After Life" são curtos e certeiros (o maior tem 31 minutos) e deixam sempre aquela sensação agridoce, algo recorrente de humoristas que gostam de misturar comédia com drama. Fãs de "Curb Your Enthusiasm" e "Louie" encontrarão na série de Ricky Gervais um lugar engraçado e incômodo ao mesmo tempo.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ricky convence como personagem dramático, principalmente porque os traços de seu personagem são similares ao seu típico humor ácido. Mas para esta jornada, o humorista se escorou em um elenco de personagens ricos em características marcantes que ajudam a construir sua narrativa, como o usuário de drogas Julian, a amiga Anne e a própria Lisa, sua mulher que aparece frequentemente em vídeos, ou as aparições cômicas e rápidas do carteiro.

"É o mais longe, mais dramático, sombrio e intransigente que já fui", disse Ricky ao site da NME. "Algumas pessoas vão amar, outras odiar, mas a maioria nem saberá que existe".

Em entrevista ao DigitalSpy, o humorista afirmou ter a intenção de fazer uma segunda temporada porque "se apaixonou pelos personagens". "Eu tenho uma ideia de onde poderia ir. A segunda é sempre melhor porque você já conhece os atores na hora de escrever".

Em casos onde não há continuação, os títulos geralmente ficam sob a categoria de "minisséries", e esse não é o caso. Dito isso, há boas possibilidades da história seguir na Netflix em uma nova temporada e a jornada de Tony sem Lisa ganhar novos capítulos.