Topo

Fãs de BTS se revoltam com ação de cambistas e polícia é chamada ao Allianz Parque

Carine Wallauer/UOL
Com mais de 5 mil pessoas na fila, fãs enfrentam chuva para comprar ingressos para o show do BTS no Allianz Parque, em São Paulo Imagem: Carine Wallauer/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

2019-03-11T15:55:55

2019-03-11T18:34:58

11/03/2019 15h55Atualizada em 11/03/2019 18h34

O clima nos arredores do Allianz Parque, em São Paulo, ficou tenso cerca de 2 horas depois do início das vendas dos ingressos físicos para o show do BTS no Brasil, em 25 de maio. Fãs que estão há vários dias na fila se desesperam a cada hora que passa com a possibilidade de não conseguir um ingresso para a apresentação o grupo sul-coreano, fenômeno mundial do k-pop.

Eles alegam que cambistas estão usando idosos para adquirir as entradas na fila preferencial, que apesar de ser atendida apenas por um guichê está bem menor do que a fila comum.

As polícias civil e militar chegaram a ser acionadas pelo público e foram ao local. Uma idosa que supostamente estaria comercializando ingressos dentro do banheiro do shopping Bourbon, que fica ao lado do estádio, foi levada a depor no 23º DP junto a um grupo de testemunhas.

Já a polícia militar fazia uma ronda com quatro viaturas e cerca de 16 soldados na área em frente à bilheteria para tentar flagrar o comércio ilegal de ingressos. Segundo um dos PMs, só hoje eles já receberam mais de 30 chamadas do público presente.

A polícia, porém, só pode agir em caso de flagrante. "Ainda não pegamos nenhum cambista, mas estamos monitorando. Se for pego em flagrante será encaminhado à delegacia", explica a aspirante oficial Jacqueline, que coordena a operação.

A oficial ainda reforça que a polícia também tem o papel de manter o público - que já chega a 8.000 pessoas - em segurança. "As pessoas estão na fila incomodadas porque não sabem se vão ou não conseguir ingresso e estão reclamando que tem gente que passou a fila. Essas questões acontecem pela aglomeração."

Carine Wallauer/UOL
5 mil pessoas na fila esperam na fila para comprar ingresso para o show do BTS Imagem: Carine Wallauer/UOL

Denúncias

A reportagem não flagrou ninguém oferecendo ingressos, mas o fluxo de pessoas com dinheiro vivo na mão era evidente. Muitos idosos na fila preferencial também se recusaram a falar. 

"A gente viu o cambista aqui entregando um bolo de R$ 4.000 e o idoso ficou com o dinheiro na mão. Eles estão pagando R$ 100 para cada ingresso que eles conseguem comprar", denuncia Ivy Machado de Oliveira Lima, 39, que estava na fila preferencial com a mãe de 65 anos e as duas filhas, de 15 e 18 anos. "Eles compram, negociam de novo, e voltam para a fila".

A reportagem conversou com um representante da Live Nation, responsável pelo show, que preferiu não se identificar. Ele disse que é difícil controlar a ação dos cambistas, já que qualquer pessoa que estiver na fila tem direito de comprar seis ingressos por CPF.

A avó Vânia Machado, 65, tem revezado lugar na fila com as netas desde a última quinta-feira, dia 7 de março. Mesmo na fila preferencial, ela ainda não tinha conseguido comprar os ingressos, 3 horas depois da abertura da bilheteria. "Está muito difícil porque está cheio de cambista e ninguém toma providência. Está cheio de segurança do outro lado, mas ninguém vem para a fila preferencial", desabafa a neta Beatriz, de 15 anos.

"Fui procurar o segurança e ele me disse 'que evento não tem cambista?'. Isso é ridículo. Lá na outra fila não tem cambista, o foco está aqui", continua Iwy, filha de dona Vânia e mãe das meninas. "Tem gente que nem sabe que show que é. Não sabe nem o que é isso. Esses idosos aqui na frente mesmo perguntaram para a gente que show que é", afirma Isabelly de Oliveira Lima, 18.

Renata Nogueira/UOL
Polícia ajuda a organizar a compra de ingressos para o show do BTS, no Allianz Parque Imagem: Renata Nogueira/UOL

O desespero da família é compartilhado por mais gente que aguarda na fila preferencial. Às lágrimas por medo de não conseguir um ingresso, Hevelyn Sussai, 11, também desabafa sobre a ação dos cambistas. "Tem um homem que está tentando botar gente aqui na minha frente. Ele vai fazer as 'Armys' não irem pro show, entendeu? Atrapalha. Ele rouba ingresso da gente com isso. Ele está destruindo o meu sonho. O BTS é uma das coisas que eu mais amo no mundo, eles me fazem feliz", conta.

A menina enfrenta a fila preferencial com a mãe Vanessa Sussai, 36, grávida de cinco meses. "Chegamos 7h da manhã, mas ainda não andou quase nada", desabafa a mãe, que levou a filha com uniforme da escola achando que conseguiria comprar o ingresso tranquilamente e levar a menina para a escola. "Eles deveriam pelo menos liberar mais um guichê de preferencial porque está muito devagar", sugere a gestante. "Ela veio até com o uniforme da escola, mas perdermos o horário".

Após diversas denúncias, a polícia começou a focar em controlar o acesso à fila preferencial, questionando quem está na fila sobre número de ingressos que pretendem comprar e para quem. Por enquanto são sete guichês comuns e um preferencial funcionando no Allianz Parque.

A Live Nation não divulga a quantidade de ingressos disponíveis no ponto físico, e os fãs seguem na fila na esperança de conseguir uma entrada. Na internet, os ingressos para o show do BTS se esgotaram em menos de 2 horas. Um show extra do BTS já foi anunciado: a segunda apresentação acontece no dia 26 de maio.

Mais K-pop