PUBLICIDADE
Topo

Caso de "Making a Murderer" pode ter outro julgamento com novas provas

Steven Avery em cena de "Making a Murderer" - Reprodução
Steven Avery em cena de "Making a Murderer" Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

27/02/2019 09h41

O caso de Steven Avery, que ganhou notoriedade global após o lançamento de "Making a Murderer", na Netflix, vai voltar aos tribunais americanos. A advogada do americano, Kathleen Zellner, ganhou uma moção por um novo julgamento baseado em evidências encontradas por ela de má conduta dos investigadores.

Segundo a "BBC", a moção se baseia em grande parte na descoberta de pedaços de ossos em uma pedreira longe da propriedade de Avery, durante a investigação inicial. Zellner diz que os policiais agiram de forma equivocada ao entregar os ossos para a família da vítima, Theresa Halbach, antes de serem testados.

Segundo ela, caso um teste de DNA seja feito nos fragmentos e a identidade de Halbach seja confirmada, a evidência irá contra a narrativa da polícia de que a moça foi morta dentro do ferro velho onde Avery vivia com a família.

Halbach foi morta em 2005. Seu carro e uma parte de seus restos mortais foram descobertos dentro da propriedade de Avery, que foi preso pelo crime junto a seu sobrinho, Brendan Dassey, cujo caso corre em paralelo ao dele.

Antes desta prisão, Avery passou 18 anos na cadeia por outro crime, um estupro, do qual foi mais tarde inocentado graças a testes de DNA.