PUBLICIDADE
Topo

Após polêmica, Melody volta ao Instagram com dezenas de fotos apagadas

A cantora MC Melody, de 11 anos - Reprodução/Facebook
A cantora MC Melody, de 11 anos Imagem: Reprodução/Facebook

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

24/01/2019 19h04

O perfil de MC Melody no Instagram, que havia saído do ar na segunda-feira (21), foi reativado, mas com dezenas de fotos apagadas. O registro mais recente da cantora de 11 anos é de agosto de 2018.

A cantora virou centro de atenções depois de se envolver em uma polêmica com Felipe Neto. No dia 16 de janeiro, o youtuber anunciou que iria banir o conteúdo de Melody de seu canal no YouTube, que tem 29 milhões de inscritos. O motivo era o forte apelo sexual nos últimos trabalhos da cantora.

"Galera, infelizmente a Melody está banida do meu canal. Havia informado ao seu pai que não faria mais 'react' enquanto ela fosse sensualizada. Ele me prometeu que ia mudar, mas só piorou. E piorou muito. Ela tem 11 anos. Onze. E eu tive que censurar uma foto para poder exibir", publicou Neto no Twitter na ocasião.

A funkeira MC Melody - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
A última foto disponível no Instagram de Melody
Imagem: Reprodução/Instagram

No dia seguinte, o influenciador digital afirmou que entrou em um acordo com Thiago Abreu, pai da menina e mais conhecido como MC Belinho. 

"Felipe propôs um acompanhamento pedagógico e psicológico das cantoras [Thiago também é pai de Bella Angel] a ser realizado por profissionais especializados em educação infantil.", escreveu o youtuber, através de sua assessoria.

"Além disso, uma blindagem dos conteúdos publicados pelas influenciadoras, de apenas 11 e 14 anos, com o intuito de remover todo tipo de publicação que possa comprometer a inocência compatível com suas idades", acrescentou.

Quem também entrou no caso foi a mãe de Melody, Glória Severino, que quebrou o silêncio e disse ser contra a "exposição e erotização" de suas filhas.

"Nunca fui a favor [da sensualização]. Sempre fui contra. Reclamava quando elas usavam roupas curtas, mas elas batiam o pé e o pai também. Nunca consegui ser presente nessa questão da carreira das duas porque estava trabalhando. De repente, comecei a ver minhas filhas com muita exposição e erotização. Reclamava muito. O problema é que ele [Thiago Abreu] nunca me escutou", disse Glória ao "Extra".