Topo

Entretenimento


Agente de Kevin Spacey pode ser testemunha-chave em julgamento por assédio

Nicole Harnishfeger/AFP
O ator Kevin Spacey, que permaneceu calado diante da corte em Nantucket Imagem: Nicole Harnishfeger/AFP

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

2019-01-09T14:02:17

09/01/2019 14h02

Evan Lowenstein, o agente do ator Kevin Spacey, pode se tornar uma testemunha chave no julgamento do ator por uma acusação de assédio sexual. Segundo o "The Hollywood Reporter", Lowenstein estava presente no restaurante onde o suposto assédio teria acontecido, em 2016.

Spacey responde à denúncia de que teria assediado um jovem de 18 anos, filho da jornalista Heather Unruh, bem conhecida na região. Segundo ela, Spacey levou o garoto a um restaurante, onde teria dado bebida a ele (nos EUA, a idade permitida para consumo de álcool é 21 anos) e, depois, feito avanços sexuais não consensuais.

Lowenstein, que trabalha com Spacey desde 2015 e já foi visto com o ator em ocasiões sociais como festas pós-Emmy e até partidas de tênis do US Open, não apareceu com ele no tribunal de Nantucket, em Massachusetts (EUA), na última segunda-feira (7).

A data marcou a primeira audiência judicial do caso. Spacey não falou durante os procedimentos, e não precisará comparecer às próximas deliberações. O caso prosseguirá com uma nova audiência em 4 de março.

Lowenstein assumiu o papel de principal agente do ator em 2016, quando Spacey se afastou de Joanne Horowitz, profissional que o representou por quase três décadas. Desde que as acusações de assédio sexual contra o ator surgiram, no final de 2017, ele tem vivido com Lowenstein em um apartamento em Baltimore, nos EUA, avaliado em US$ 6 milhões.

O bizarro vídeo postado por Spacey durante o feriado do Natal, em que aparecia encarnando o seu personagem de "House of Cards", foi gravado sob a supervisão e incentivo de Lowenstein, segundo fontes do "The Hollywood Reporter".

O veículo também conversou com vários dos moradores de Nantucket, que formarão o júri do caso de Spacey for a julgamento. A maioria, segundo a reportagem, descredita a acusação.

"Se alguém está te tocando ou fazendo algo inapropriado, porque você não daria um soco nele? Mesmo que você acabe preso, você pode explicar aos policiais o que aconteceu", comentou Shane Hanlon, de 23 anos.

"A ideia de só denunciar um ano depois me parece extorsão. Eu acho totalmente desnecessário. O que quero dizer é que acusações assim estão tirando o mérito de pessoas que realmente estão passando por situações horríveis", adicional Asha Jalleme, também de 23 anos.

Para uma mulher de meia idade que só quis ser identificada como Lynn, a situação de Spacey é "de dar pena". "De acordo com a denúncia, ele estava apalpando este garoto por três minutos, e ele teve a oportunidade de se levantar e ir embora. No meio de um restaurante. Eu acho que a família quer dinheiro", comentou.

Mais Entretenimento