PUBLICIDADE
Topo

"Máquinas Mortais" pode se tornar o maior fracasso de bilheterias de 2018

Cena do filme "Máquinas Mortais" - Divulgação
Cena do filme "Máquinas Mortais" Imagem: Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

17/12/2018 08h34

O ano já está terminando e parecia que nenhum filme conseguiria superar o fracasso de bilheterias "Robin Hood - A Origem". Mas a história do herói que rouba dos ricos para dar aos pobres foi destronada por "Máquinas Mortais", uma adaptação do livro de ficção científica de Philip Reeve, que arrecadou apenas US$ 7,5 milhões nos Estados Unidos neste final de semana.

Os números estrangeiros também não foram bons e apontam para uma arrecadação entre US$ 34 milhões a US$ 42,3 milhões. A título de comparação, "Aquaman", já ganhou US$ 250 milhões antes mesmo de estrear nos Estados Unidos. "Máquinas Mortais" pode não conseguir recuperar nem mesmo a metade de seu orçamento, que ficou entre US$ 100 milhões e US$ 150 milhões, já que a Universal não divulgou o valor final.

O fracasso é ainda mais retumbante se levarmos em consideração que a Universal fez questão de destacar como grande triunfo a participação na produção do diretor Peter Jackson, que ganhou três Oscars (melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro adaptado) com "O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei".

Zane Weiner, Amanda Walker, Deborah Forte e Fran Walsh também dividem a produção. A direção ficou por conta do estreante Christian Rivers, amigo de longa data de Peter Jackson e que trabalhou nos efeitos visuais de "O Senhor dos Anéis" e no remake de "King Kong", dirigido por Jackson.

A crítica também não perdoou "Máquinas Mortais". No Los Angeles Times, Kenneth Turan elogiou os efeitos especiais e a direção artística, mas criticou a história como "dramaticamente inerte". Uma reportagem do site "The Wrap" apontou como falha a falta de conexão do público com a história, que é uma ficção científica difícil de entender.

O marketing do filme também não se esforçou para explicar as motivações da personagem mascarada da atriz Hera Hilmar, que interpreta a protagonista Hester Shaw, nem porque eles caçam cidades com suas máquinas mortais. Além disso, o fracasso pode estar associado aos grandes lançamentos do fim do ano, como "Aquaman" e "Bumblebee". Em ambos os casos, os filmes já são conhecidos e sua história é de fácil entendimento.

O filme é ambientado em um mundo destruído, em que cidades literalmente engolem outras cidades. Este "darwinismo municipal" é representado com primor em efeitos visuais impressionantes e momentos de tensão que lembram os clássicos de Jackson. Os protagonistas são Hera Hilmar (a mascarada Hester Shaw) e Hugo Weaving (que vive o poderoso Thaddeus Valentina). A garota quer se vingar do líder da comunidade de Londres por ter matado sua mãe, e este fica assustado quando descobre que seu segredo pode ser revelado.

Embora a Universal vislumbre o prejuízo de US$ 100 milhões para "Máquinas Mortais", o ano de 2018 foi muito bom para o estúdio. Neste ano, eles arrecadaram US$ 1,7 bilhão nas bilheterias dos Estados Unidos e os principais sucessos foram "Jurassic World: Reino Ameaçado" (US$ 416,7 milhões), "O Grinch" (US$ 239,2 milhões) e "Halloween" (US$ 159,2 milhões).