PUBLICIDADE
Topo

Atores acusados de assédio podem ter nova chance? Estúdios estudam retornos

Acusado de assédio, James Franco é bancado por estúdios e pela TV para continuar no ar - Stefanie Loos/Reuters
Acusado de assédio, James Franco é bancado por estúdios e pela TV para continuar no ar Imagem: Stefanie Loos/Reuters

Osmar Portilho

Colaboração para o UOL

15/08/2018 14h44

O estopim causado pelas acusações que surgiram contra Harvey Weinstein no fim de 2017 estremeceu Hollywood. As denúncias não interromperam só a carreira do chefão da indústria, mas também colocaram em xeque os trabalhos de vários atores acusados de assédio nos meses posteriores. São tantos os nomes envolvidos em polêmicas que há um grande número de atores, produtores, diretores e roteiristas que esperam a poeira baixar em uma tentativa de voltar a trabalhar no cinema. Mas existe trabalho depois de acusações tão graves surgidas com o movimento #MeToo?

Talvez sim. Pelo menos é o que aponta um artigo do site Hollywood Reporter, publicado nesta quarta-feira (15), que mostra a intenção de diversos estúdios e produtoras que ponderam os riscos de proteger e dar novas oportunidades para alguns nomes condenados pela opinião pública. Um deles é James Franco, que atualmente trabalha com a Focus Features no filme "ESPN: Those Guys Have All the Fun", que narra o nascimento do canal de esportes norte-americano.

O artigo pondera, no entanto, que o acordo entre as partes teria sido firmado muito antes das denúncias surgirem. Em portas fechadas, os estúdios discutem se vale o risco resgatar alguns nomes envolvidos em polêmicas tão graves. A Focus não quis comentar o caso.

Chris Hardwick  e Chloe Dykstra em foto de 2014 - Frazer Harrison/Getty Images - Frazer Harrison/Getty Images
Chris Hardwick e Chloe Dykstra em foto de 2014
Imagem: Frazer Harrison/Getty Images

No caso de Chris Hardwick, acusado de abuso sexual e assédio emocional por sua ex-namorada, Chloe Dykstra, a pena profissional parece ter sido curta. Como âncora do "Talking Dead", programa que passa após "The Walking Dead" da AMC, ele chegou a ser afastado da atração, mas já voltou ao seu posto em frente às câmeras.

A lista de nomes escondidos nas sombras de Hollywood só aumenta. John Lasseter, Dustin hoffman, Louis C.K., Kevin Spacey e muitos outros seguem reclusos na vida pessoal e sem nenhum indício de retomar algum projeto profissional.

James Franco é uma exceção desta lista e ganha até certa proteção da indústria. Além do filme sobre a ESPN, ele também segue como protagonista de "The Deuce", da HBO. "O fato é que James está no programa e nós vamos seguir com a segunda temporada", disse Casey Bloys, presidente do canal.

Embora os teasers iniciais da série nitidamente diminuíam o tempo de exposição de Franco, esta é uma política que parece ter sido abandonada pelo canal. "Não há nenhum esforço em esconder o fato de que ele está no programa. Eu entendo o foco em James, e ele faz dois personagens, é algo importante, mas o show é mais importante que James também", continuou. Ou seja, a temporada estreará no dia 9 de setembro sem nenhum contratempo e ignorando as petições organizadas no site Care2, que inclusive foram responsáveis por derrubar Matthew Newton do filme "Eve".

"Estamos desapontados com a postura da HBO com Franco", disse Rebecca Gerber, do Care2. "Se você olhar as acusações contra ele, foi sobre a maneira como ele tratou as mulheres e a falta de respeito em situações envolvendo nudez e sexo", continuou.

Casey Affleck - Frazer Harrison/Getty Images - Frazer Harrison/Getty Images
Casey Affleck, escolhido melhor ator no Oscar 2017 por "Manchester À Beira-Mar", exibe sua estatueta dourada
Imagem: Frazer Harrison/Getty Images

A HBO não é a única enfrentando dificuldades com estrelas envolvidas em acusações de assédio. Vale lembrar do cancelamento do filme "I Love You Daddy", de Louis C.K., e a repercussão do filme "All the Money in the World", gravado com Kevin Spacey e lançado após as denúncias surgirem.

Franco não está sozinho

Não dá para dizer que James Franco está sozinho entre os "protegidos" da indústria. O artigo do Hollywood Reporter aponta que Casey Affleck também tem ganhado espaço para um retorno às telonas.

No meio de todo turbilhão, o ator venceu o Oscar de melhor ator por "Manchester à Beira-Mar", fato que gerou duras críticas à Academia. De acordo com o artigo, o caso de Casey gera um momento de apreensão entre os estúdios, que aguardam novos casos para condenar ou não sua carreira.

Rebecca Gerber, do Care2, tenta explicar essa penumbra onde os atores acusados aguardam. "Em Hollywood, eles fazem ligações perguntando se esse ou aquele ator já podem voltar ou não. Estamos vendo definitivamente uma crise de artistas desaparecendo para esperar que a poeira baixe. Do nosso lado, vamos nos esforçar para que haja uma tolerância zero para que essas acusações não passem despercebidas", afirmou.