Topo

Filmes e séries

Nada a Perder está entre os 100 piores filmes da história em site de cinema

Divulgação
Cena do filme "Nada a Perder", com Petronio Gontijo Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/05/2018 11h32

A cinebiografia do bispo Edir Macedo, "Nada a Perder", entrou na lista dos 100 piores de todos os tempos do site americano IMDB, um dos mais respeitados de cinema, com nota qualificada de 2,4.

Nesta segunda-feira (21) o filme brasileiro é o 52º da lista, que é formada por fracassos de bilheteria como "A Reconquista", um dos piores filmes de John Travolta e Forest Whitaker, na 63ª posição, bobagens de Hollywood como a sátira "A Saga Molusco: Anoitecer" (75º) e bizarrices do tipo "Jurassic Shark" (12º), "Meu Parceiro é um Dinossauro" (87º) e "Papai Noel Conquista os Marcianos" (88º).

A lista é liderada pelo obscuro filme turco "Kod Adi K.O.Z" (2015), seguido por "Salvando o Natal" (2014) e "Bebês Genias 2: Super Bebês" (2004).

Lançado em 1990, o IMDB tem mais de 83 milhões de usuários registrados. A lista de piores filmes dá mais peso às avaliações de quem analisa frequentemente os títulos cadastrados no site, diminuindo assim o risco de fraudes. Apenas filmes que estrearam no cinema e tiveram mais de 1500 avaliações são considerados. Na avaliação geral, contando todos os usuários, a nota do "Nada a Perder" é 7,1.

Reprodução
"Nada a Perder" entre os piores filmes do IMDB Imagem: Reprodução
Em abril, os produtores do filme "Nada a Perder" comemoravam a classificação 100% positiva no IMDB em outra lista, que levava em consideração todos os votos que o filme teve, mesmo que fossem de usuários desconhecidos. Depois de críticas de usuários, algumas avaliações positivas foram excluídas pelo site.

No Brasil, o filme conquistou no começo do mês o título de maior bilheteria da história no país, com mais de 11,446 milhões de ingressos vendidos, ultrapassando outra produção da Record, "Os Dez Mandamentos". 

UOL apurou que membros da igreja têm anunciado nas redes sociais ingressos com direito a transporte gratuito até a sala de cinema, levantando a suspeita de que a própria Universal estaria "esgotando" sessões para distribuição, o que sempre foi desmentido pela igreja. 

Semanas antes da estreia, a Universal divulgou um texto alertando seus fiéis de que a mídia usaria de "fake news" para prejudicar o lançamento do filme. O comunicado diz: “A mídia, os produtores e promotores destas fake news tentarão, de todas as formas, espalhar que o êxito do filme foi manipulado, que os ingressos teriam sido comprados pela Universal e distribuídos aos fiéis. É mentira! O que existe é a mobilização espontânea de grupos e de membros da Universal, que se organizaram para que o maior número de pessoas tenha chance de assistir ao filme."

Assim como seu antecessor, nem todas as salas “esgotadas” de “Nada a Perder” encheram completamente. A reportagem acompanhou uma das primeiras exibições no dia da estreia, no Shopping Frei Caneca, região central de São Paulo. A sessão, que tinha 172 ingressos vendidos, foi vista por 76 pessoas na sala.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!