Topo

Virada Cultural

Paralamas deixa o discurso político nas músicas em show lotado na Virada

Carla Carniel/Codigo19
Hebert Vianna canta com os Paralamas do Sucesso na Virada Cultural Imagem: Carla Carniel/Codigo19

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

20/05/2018 17h41

O Paralamas do Sucesso encerrou o palco História do Rock da Virada Cultural 2018 sem surpresas, mas com a qualidade de sempre. Entre hits e temas políticos, o grupo liderado por Herbert Viana foi celebrado pela multidão que lotou a frente do Edifício Copan, no centro de São Paulo.

Leia mais

O vocalista tocou na ferida nas pesadas "Selvagem", falando sobre o discurso reticente e a novidade inconsistente do governo, e "O Calibre", uma análise crua do medo da violência no Brasil. Por outro, "Meu Erro" e "Lourinha Bombril" foram a deixa para os fãs pulares e cantarem todos os versos, criando um clima propício para a tarde ensolarada -e fria!- na capital paulista.

Na estrada há mais de 30 anos, o Paralamas ainda tem no baixista Bi Ribeiro e no baterista João Barone os pilares, mas a adição de teclado e instrumentos de sopro completam o talento do trio. Herbert passou por solos -- teve até um momento à lá Jimi Hendrix e uma versão espetacular de "Caleidoscópio"--, chamou o público com a característica batida ska e orquestrou as faixas românticas, como "Cuide Bem do Seu Amor" e "Lanterna dos Afogados".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!