PUBLICIDADE
Topo

Edu Falaschi prepara inéditas e leva "Rebirth of Shadows" para fora do país

Edu Falaschi leva a turnê "Rebirth of Shadows" para fora do Brasil - Divulgação
Edu Falaschi leva a turnê "Rebirth of Shadows" para fora do Brasil Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

03/07/2018 07h00

Quando começou a "Rebirth of Shadows Tour" com apenas sete shows em julho do ano passado, a ideia de Edu Falaschi era só dar início à carreira solo. A turnê com músicas da época em que esteve à frente da banda Angra (2001-2012) encerrou em maio totalizando 40 shows pelo Brasil.

O cantor acaba de anunciar sequência do projeto, mas dessa vez será fora do Brasil. Acompanhado de Aquiles Priester e Fabio Laguna, parceiros da época, e Diogo Mafra, Raphael Dafras, ambos do Almah, e Roberto Barros, Edu desembarca na Colômbia em agosto.

Datas dos shows de Edu Falaschi - Divulgação - Divulgação
Datas dos shows de Edu Falaschi
Imagem: Divulgação
A partir dali, serão dez shows que passarão pela Espanha, Bélgica, Itália e duas apresentações no Japão. No dia 6 de outubro, em Tokio, e dia 7, em Osaka.

Edu está empolgado com a ideia de voltar pela primeira vez ao solo asiático desde que deixou o Angra, e adianta que a abertura será da The Dark Element, banda nova de Anette  Olzon (ex-Nightwish) com o ex-guitarrista do Sonata Arctica.

Um mês antes dos shows, os japoneses poderão ouvir as inéditas "The Glory of the Sacred Truth" e "Streets of Florence". Os dois singles serão lançados em setembro pela King Records.

"Essas músicas são presentes aos fãs que estão felizes com essa reunião. Elas são bem calcadas no estilo que fazíamos no Angra. Uma é speed metal e a outra uma balada. Foi uma maneira que encontramos de fazer os fãs relembrarem o que fazíamos na época", diz Falaschi.

Edu explica que Joe Lynn Turner (ex-Deep Purple) foi um dos grandes incentivadores para dar continuidade ao seu plano. "Ele [Joe Lynn] me disse que eu não podia esquecer o meu passado. E é isso que estou fazendo. Uma carreira solo que eu não imaginava ser tão legal, mas isso tudo só é possível com o apoio de pessoas especiais e empresas conectadas com a boa música, como a YEP TV", conclui o músico. 

No vídeo abaixo, o músico fala em japonês sobre os shows que apresentará em Tokio e Osaka.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL