PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento


Por até US$ 2.500, você pode comprar um 'alô' dos famosos

Sarah Jessica Parker, Giovanna Antonelli e Rafinha Bastos estão em plataformas que permitem a você comprar mensagens dos famosos - Divulgação e Reprodução/ Instagram - Montagem UOL
Sarah Jessica Parker, Giovanna Antonelli e Rafinha Bastos estão em plataformas que permitem a você comprar mensagens dos famosos Imagem: Divulgação e Reprodução/ Instagram - Montagem UOL

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Sites como o gringo Cameo e os brasileiros Manda Salve e OKanal permitem a você comprar mensagens dos ídolos
  • Preços, por aqui, vão de R$ 10 a R$ 500; lá fora, podem chegar a US$ 2.500 por uma mensagem de Sarah Jessica Parker
  • Famosos como Giovanna Antonelli, Rafinha Bastos, Henri Castelli e Cauê Moura estão nessas plataformas

Pelas próximas semanas, os fãs não terão a sorte de encontrar seu artista ou youtuber preferido na rua ou em um evento para tirar aquela selfie ou gravar aquele story. Mas dá para ganhar (ou comprar, melhor dizendo) uma mensagem em vídeo personalizada à distância. Basta desembolsar de R$ 10 a R$ 500, se quiser receber um alô de um talento nacional, ou até impressionantes US$ 2.500 (cerca de R$ 12.500), se o seu sonho for ter um recadinho da atriz Sarah Jessica Parker, a Carrie de "Sex and the City".

Dá para fazer isso por meio das novas plataformas que se propõem justamente a permitir que fãs possam comprar mensagens em vídeo feitas por seus ídolos. O pioneiro foi o Cameo, que foi lançado nos Estados Unidos em 2017, mas ganhou popularidade em 2019. Segundo o jornal "The Guardian", o site já vendeu mais de 500 mil vídeos —a maior parte deles no ano passado.

No Cameo, você encontra nomes como Caitlyn Jenner, que, assim como Sarah Jessica Parker, cobra US$ 2.500; Snoop Dogg (por simbólicos US$ 420); Marlon Wayans (US$ 500); e até o ator Dick Van Dyke, do "Mary Poppins" original (US$ 500). Tom Felton, o Draco dos filmes "Harry Potter", e Lance Bass, ex-NSYNC, também dão as caras por lá. O site fica com 25% do valor arrecadado pelos artistas.

Made in Brazil

O Cameo ganhou, no fim do ano passado, dois concorrentes brasileiros: o OKanal e o Manda Salve —cada um com seus próprios catálogos de famosos à disposição.

O OKanal, fundado por Elaine Macedo, que trabalhou por 30 anos como produtora de elenco, é a casa de globais e ex-globais como Giovanna Antonelli (R$ 250), Henri Castelli, Adriane Galisteu (ambos por R$ 500) e Thaila Ayala (R$ 300). Já são 260 famosos no serviço.

Já o Manda Salve é uma iniciativa de Alexandre Ottoni e Deive Pazos, os criadores do site Jovem Nerd. O casting, que privilegia influenciadores, já tem mais de 90 nomes cadastrados, incluindo os humoristas Rafinha Bastos (R$ 100) e Léo Lins (R$ 150) e o youtuber Cauê Moura (R$ 150), bem como os próprios fundadores (a R$ 199) e a atriz Fernanda Concon, ex-Carrossel (R$ 250). Para o futuro próximo, o serviço pretende contar ainda com atletas de jiu-jitsu e MMA.

As duas plataformas surgiram para suprir uma demanda que sempre se mostrou forte na vida real. Ottoni e Pazos, ambos figuras bem assediadas em eventos voltados ao público geek, como a CCXP, sentiram que havia desejo do público por um serviço que permitisse esse contato.

Foi uma motivação semelhante à de Macedo. "Chegar mais perto do inacessível de forma profissional foi a maneira que encontrei para não ser inoportuna com profissionais ocupados. Ao mesmo tempo, a possibilidade de realizar sonhos de pessoas distantes que nunca teriam a oportunidade de se encontrar com quem admiram."

Tanto no OKanal quanto no Manda Salve, os produtores de conteúdo têm liberdade para dar seu preço —as plataformas ficam com 30% e 25% do arrecadado, respectivamente. Vale pedir para eles um parabéns para um amigo ou aquela declaração para o "crush"; conteúdos discriminatórios, claro, estão vetados.

Quarentena alterou a demanda

Os dois serviços também têm sido afetados pela pandemia de coronavírus. Elaine Macedo diz ter notado um aumento na demanda na última semana. "Infelizmente estamos num momento de hibernação e os talentos podem suavizar trazendo alegria e boas vibrações ou até enviar mensagens trocando dicas culinárias ou dicas de séries e filmes".

No Manda Salve, a reação chegou a ser oposta. "Observamos uma leve queda no último final de semana nos acessos ao site, provavelmente por que o foco das pessoas na internet estava totalmente voltado para a busca por notícias factuais. Mas, na segunda-feira mesmo, os números começaram a voltar à nossa média prevista", afirma Pazos.

Entretenimento