PUBLICIDADE
Topo

'Hunters': Série da Amazon que tem Al Pacino caçando nazistas é imperdível

Logan Lerman e Al Pacino em "Hunters", série do Amazon Prime Video - Divulgação
Logan Lerman e Al Pacino em 'Hunters', série do Amazon Prime Video Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

20/02/2020 12h00

"Hunters", a série do Amazon Prime Video que estreia nesta sexta, é uma grande mistura. No espaço de poucos minutos, seus episódios conseguem evocar Tarantino, filmes B dos anos 1970 e referências geek enquanto tocam em um assunto sério: o nazismo. É uma mistura que, na maior parte do tempo, funciona —e torna a série criada pelo novato David Weil e produzida por Jordan Peele ("Corra!" e "Nós") uma das mais interessantes deste começo de ano.

A história acompanha Jonah (Logan Lerman), um jovem que em 1977 descobre a existência de um grupo de caçadores de nazistas após sua avó Ruth (Jeannie Berlin), uma sobrevivente do Holocausto, ser assassinada em sua casa por um homem mascarado. A avó, acontece, fazia parte de um time dedicado a encontrar (e executar) antigos colaboradores do regime nazista escondidos em solo americano. Quem coordena tudo é Meyer Hoffman (Al Pacino), um ricaço que conheceu Ruth em um campo de concentração.

O resto do time é tão diverso quanto a série em si. Há um ator, uma ativista, uma freira, um casal de sobreviventes da guerra e um veterano do Vietnã —o que ajuda, em muito, a criar o humor da produção.

O que se segue é uma trama de vingança calcada em um humor ácido e uma violência absurda, que em muito remete ao trabalho do diretor Quentin Tarantino em "Bastardos Inglórios", também sobre uma caçada a nazistas, mas no curso Segunda Guerra Mundial.

"Hunters", felizmente, não se leva a sério, e consegue criar uma trama fascinante e divertida apesar das oscilações em seu ritmo, um problema que parece não ter sido ainda totalmente assimilado pelas plataformas de streaming (não é porque você pode fazer os episódios longuíssimos que você deve fazê-los).

A linguagem da série é estilizada, fazendo uma ponte com os filmes de blackxploitation e, também, com a linguagem dos quadrinhos e do cinemão pop. Jonah, afinal, é um nerd que começa a série deixando uma sessão de "Star Wars" e se questionando como Darth Vader se tornou vilão. Ele seria fruto de um sistema, teoriza o rapaz, sem saber que muito em breve se veria indo atrás... de vilões.

Só não espere antagonistas complexos e multifacetados aqui. Os nazistas de "Hunters" estão por trás de uma grande conspiração e são figuras caricatas e sem grandes sutilezas, como o misterioso Biff Simpson (Dylan Baker), um homem com conexões poderosas, e Travis (Greg Austin), um assassino que vive de frases de efeito de duplo sentido —"não dá para misturar roupas coloridas com as brancas, elas sempre sangram".

No time dos mocinhos, o protagonismo é indiscutivelmente de Al Pacino, claramente se divertindo com um carregado sotaque alemão. Já Logan Lerman traz uma ingenuidade necessária a Jonah, que serve como o guia do espectador em meio à confusão de datas e nomes que a série pode provocar. Dentre os outros caçadores, o destaque vai para Josh Radnor (o Ted de "How I Met Your Mother") como Loony Flash, um ator extravagante e um pouco sem-noção.

A Amazon só liberou cinco dos dez episódios de "Hunters" antes de sua estreia, então ainda não é possível avaliar a série como um todo. Mas uma coisa dá para afirmar: estamos morrendo de curiosidade para ver como essa história termina.