PUBLICIDADE
Topo

Filmes e séries


Carla Diaz acha importante o debate de casos como o de Suzane Richthofen

Carla Diaz como Suzane Von Richthofen no filme "A Menina Que Matou Os Pais" - Divulgação
Carla Diaz como Suzane Von Richthofen no filme "A Menina Que Matou Os Pais" Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL

11/02/2020 12h57

Carla Diaz interpreta Suzane Von Richthofen nos filmes A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais, que estreiam em 2 de abril. A ideia de serem duas produções é mostrar diferentes pontos de vistas da história, o de Suzane e o dos irmãos Cravinhos.

A atriz deu uma entrevista à Quem para falar sobre seu papel e relembrou como o crime abalou o Brasil. Diaz contou porque acha que deram tanta atenção para esse ano e motivo de falaram disso até hoje.

''O caso da Suzane foi super divulgado porque ela estava fora dos padrões. Isso chamou a atenção do nosso país. Mas no mesmo dia que aconteceu o caso dela, aconteceram mais três parricídios em São Paulo. Infelizmente é uma história muito triste que vem se repetindo. E por que não ser contada?'', disse Carla.

''É um caso que chocou o Brasil, me chocou também como mulher, como filha, como ser humano. É inimaginável um caso desses, me pergunto até hoje por quê. Por que ninguém entende porque alguém faz isso. Mas acho que a reflexão é exatamente essa: tentar saber o que passa na cabeça do ser humano, o que leva um ser humano a fazer isso e o que nós, como sociedade, podemos fazer para mudar, porque parricídios (ato de uma pessoa matar seu próprio pai) acontecem todos os dias, só que nem sempre a imprensa divulga'', continuou ela.

Carla Diaz acha importante falarem sobre Suzane Von Richthofen e que esse tema precisa ser mais abordado para que seja possível entender porque esses crime ocorrem.

''Por que não debater um assunto que é tão importante para uma sociedade? Importante no sentido de ser questionado. Por que acontecem casos assim? Acho que a arte está aí para debater qualquer tipo de assunto. Como entender? Como fazer alguém aceitar o inaceitável? O caso vai ser contado como ele foi'', explica.

''A gente ligava a televisão e o assassinato estava lá. O caso foi muito repercutido, só que gerou também muita fake news. Quem conta um conto aumenta um ponto. E acho que isso acontece com todos os tipos de história, principalmente com as histórias que estão em alta, sendo discutidas. Mas os dois filmes abordam a história baseada nos autos do processo, com muitos detalhes que talvez as pessoas não conheçam'', completa a atriz.

A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais estreiam simultaneamente no dia 2 de abril. Os filmes foram baseados no processo do caso Von Richthofen e relatam a história do assassinato, que ocorreu em 31 de outubro de 2002

Confira os trailers abaixo:

Filmes e séries