PUBLICIDADE
Topo

CCXP


Mulher-Maravilha, Gal Gadot faz coração com a mão e encanta a CCXP

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

08/12/2019 20h05

Gritaria não é o suficiente para descrever a empolgação do público que recebeu a atriz Gal Gadot, a estrela mais aguardada da CCXP 2019. Ela e a diretora Patty Jenkins, que vieram ao Brasil para o lançamento mundial do trailer de Mulher-Maravilha 1984, encontraram uma plateia tão animada que por várias vezes tinham de gritar ao microfone para serem ouvidas em meio aos fãs — até o "eu te amo Brasil" dito em português por Gal teve de ser aos berros, o que não foi problema para a atriz e muito menos para a plateia.

O painel teve um clima apoteótico que se instalou logo no começo, quando os 3.300 presentes foram presenteados cada um com um par de braceletes que se acendiam ao serem movimentados - e também quando as palavras "maravilha" e "Mulher Maravilha" eram pronunciadas. As luzes criaram um efeito que casou bem com o tom colorido da sequência do filme solo da heroína, que será situada - como o próprio nome já diz - em 1984.

Patty Jenkins, recebida com status de artista, entrou primeiro no palco e anunciou que agora os fãs irão ver Diana exercendo todo seu potencial. "Estamos muito animados de vê-la no mundo moderno, onde ela combate alguns de seus grandes adversários", contou ela.

A diretora ainda aproveitou para revelar os visuais de três personagens centrais do longa: Maxwell Lord (Pedro Pascal), Barbara Minerva/Mulher Leopardo (Kristen Wiig) e Steve Trevor (Chris Pine). Sim, ele está de volta - mas Jenkins garante que a presença do personagem, dado como morto no primeiro filme, não é um truque. "Não colocamos ele só porque queríamos. Essa história não podia ser contada sem ele".

A presença de Gal

A introdução foi um aperitivo para a chegada da grande estrela do dia: Gal Gadot, que entrou em um palco tomado por cosplayers de sua personagem. "Vocês estão maravilhosos hoje", disse ao público, antes de soltar um sonoro "uau" ao ver que as palmas e a gritaria não paravam. Fofa, ela fez um coraçãozinho com as mãos e o símbolo da heroína - e foi mais aplaudida ainda, se é que era possível.

Animada com o filme, Gal contou que teve um desafio extra nas cenas de ação da sequência. "Esse é o maior filme que já fiz. Nós filmamos de verdade a maior parte disso. E não é fácil, eu precisei de ajuda com as cenas de ação, mas foi incrível".

A artista revelou que chegou a machucar os ombros durante as gravações - mas o mais surpreendente da situação foi que Patty, com quem Gal desenvolveu uma ligação muito forte, também estava com dor no mesmo membro. "Ela disse 'não acredito, meu ombro está doendo também'".

Gal contou que ficou muito amiga de Kristen Wiig - "temos uma banda, cantamos e dançamos" - e falou sobre os perrengues de usar a armadura dourada do pôster - mais bonita do que fácil de usar. "Não é muito confortável, mas vale a pena", disse, sorrindo.

Ao comentar sobre a inspiração que a Mulher-Maravilha representa para tantas garotas, a atriz ressaltou o caráter universal da super-heroína. "É por vocês que a gente faz este tipo de filme. E não acho que a Mulher-Maravilha seja só para meninas e mulheres, ela é para todos."

Antes de introduzir o esperado trailer, Patty Jenkings definiu bem a Mulher-Maravilha. "Ela é uma heroína do nosso tempo. Ela é durona, mas também gentil. Ela é a heroína do futuro", declarou, sendo ovacionada de pé pelos fãs, cujas pulseiras iluminavam o auditório. O trailer foi recebido com euforia e, ao final, o clima de apoteose se manteve firme e forte, com vários papéis coloridos sendo jogados na plateia.

CCXP