PUBLICIDADE
Topo

Phoenix usou pôsteres para mostrar que Coringa se encaixa em qualquer filme

Joaquin Phoenix interpreta o Coringa - Reprodução
Joaquin Phoenix interpreta o Coringa Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

06/11/2019 11h47

O ator norte-americano Joaquin Phoenix, que interpreta o personagem Coringa nos cinemas, confessou que fez uma montagem com a imagem do vilão em pôsteres de outros filmes para mostrar que ele se encaixa em qualquer sucesso. De acordo com o Los Angeles Times, durante uma entrevista, Phoenix falava sobre a possibilidade de fazer uma sequência da história quando mencionou a brincadeira.

Embora seja contrário a participar de um novo filme do Coringa simplesmente porque ele estourou nas bilheterias, essa não é uma ideia que ele descarte totalmente.

Enquanto rodavam o filme, Phoenix diz que ele e o diretor Todd Phillips, já conhecido pela trilogia "Se beber, não case!", chegaram a refletir sobre a ideia de se aprofundar, mais tarde, na psique complexa de Arthur Fleck (nome do personagem Coringa).

"Muito antes do lançamento ou antes de termos alguma ideia se o filme seria bem-sucedido, conversamos sobre sequências", disse Phoenix. "Na segunda ou terceira semana de filmagens, eu fiquei tipo,'Todd, você pode começar a trabalhar em uma sequência? Há muito a ser explorado'. Era uma espécie de brincadeira, mas nem tanto."

Durante as filmagens, o ator copiou cartazes de outros sucessos de bilheteria e colocou neles a imagem do Coringa, como uma maneira explícita de mostrar a Phillips o que seria possível fazer.

"Eu basicamente disse: 'Você poderia pegar esse personagem e colocá-lo em qualquer filme'", afirmou Phoenix. "Eu participei de uma sessão de fotos com o fotógrafo do set e fizemos pôsteres onde o Coringa aparece em dez clássicos: O Bebê de Rosemary, Touro Indomável, Yentl", ele ri. "Se você vê, logo pensa: 'Sim, eu assistiria a esse filme'. Yentl com o Coringa? Isso seria incrível!"

"Eu definitivamente me lembro do Yentl", disse Phillips, que co-escreveu "Coringa" com Scott Silver. "Outro foi Forrest Gump. Se beber, não case! também foi um deles."

Quanto ao potencial de uma verdadeira sequência, Phillips concorda que ele e Phoenix só a fariam se houvesse uma razão criativa convincente.

"Não falamos muito sobre isso", disse o diretor. "Nós apenas conversamos sobre o fato de que, se fizéssemos uma sequência, não poderia ser apenas esse filme selvagem e louco sobre o 'Palhaço Príncipe do Crime'. Isso simplesmente não nos interessa. Teria que ter alguma ressonância temática similar à que este tem."

"Porque acho que é por isso que o filme se conectou. Eu acho que a razão pela qual ele ressoa é o que está acontecendo por baixo do filme. Muitos filmes são sobre a faísca, e este filme é sobre o pó. Se você pudesse capturar isso novamente de uma maneira real, seria interessante", afirma Phillips.

Entretenimento