Topo

Pop


Lizzo: Por que você ainda vai ouvir falar muito da cantora americana em 2019

Lizzo - Reprodução/Instagram
Lizzo Imagem: Reprodução/Instagram

Caio Coletti

Do UOL, em São Paulo

13/08/2019 04h00

Lizzo não para de quebrar recordes. Nesta semana, a cantora conseguiu subir uma posição com o seu hit Truth Hurts na Billboard Hot 100, chegando ao 4º lugar na maior parada de sucessos dos EUA. Lizzo também recebeu três certificações por lá: disco de ouro pelos singles Juice e Good as Hell, e seu primeiro disco de platina da carreira por Truth Hurts.

Aqui no Brasil, ela não é tão conhecida -- por enquanto. Nascida Melissa Viviane Jefferson em 1988, na cidade de Detroit (EUA), Lizzo é um dos maiores e mais inesperados fenômenos pop de 2019, especialmente porque o seu sucesso comercial chega só depois de quase uma década no mercado independente, tentando emplacar sua mistura de rap, pop, empoderamento e excentricidade.

Lizzo quer que você ame o seu corpo

A chegada da cantora ao mainstream veio acompanhada por uma mensagem de aceitação que ela já espalhava há anos. Tudo começou com o lançamento da música e do clipe de Juice, em janeiro. Inspirada pelos anos 1980, a canção trouxe Lizzo afirmando que o seu "borogodó" era algo natural, não forçado: "Se eu vou brilhar, todo mundo vai brilhar comigo/ Eu nasci assim, nem preciso tentar/ Eu sou como vinho, fico melhor com o tempo/ Ouvi você dizer que eu não sou a vadia mais f*da, você mentiu".

O ritmo contagiante, junto com o vídeo que prestava homenagem clara a clássicos como Physical, de Olivia Newton-John, ao mesmo tempo em que celebrava corpos de todas as formas e tamanhos, transformou Lizzo em sensação. Ela logo foi parar no programa de Ellen DeGeneres, onde apresentou o hit e demonstrou outra de suas marcas registradas: a habilidade na flauta.

É isso mesmo: uma das estrelas mais quentes do pop atual tem como instrumento de preferência a flauta. Lizzo se formou em música na Universidade de Houston, nos EUA, com especialização em flauta clássica! Essa mistura insólita entre o instrumento e as batidas (e danças) do hip hop são parte do charme excêntrico da artista, especialmente em seus shows.

Lizzo, da diversão ao drama

Embora o estilo de Lizzo seja mesmo divertido e otimista, ela também sabe fazer um belo drama. No disco Cuz I Love You, que lançou em abril, a faixa-título é uma balada romântica carregada pela voz potente da cantora, com um clipe em preto e branco no melhor estilo melodramático da Hollywood clássica. Na letra, a americana declara: "Eu achei que não me importava/ Que era imune ao amor/ Mas baby, baby, não sei o que vou fazer/ Estou chorando porque te amo".

Em outro momento mais tranquilo do álbum, Lizzo surge com Jerome, canção em que dá uma bronca no personagem-título, um rapaz que a decepcionou: "Jerome, oh, Jerome/ Vai embora para casa/ E volte quando tiver crescido". Já em seu novo single, Tempo, ela volta ao rap, gênero no qual se concentrava no começo da carreira. Ao lado de Missy Elliott, ela deixa um recado divertido: "Canções lentas são para vadias magras/ Eu sou uma garota espessa, eu preciso de batida".

Capaz de brilhar em estilos tão diferentes ao mesmo tempo, sem perder a identidade que a faz única, é natural que Lizzo tenha conquistado o público -- mesmo que tenha demorado um pouquinho.

Mais Pop