Topo

Música

Em documentário da Netflix, Avicii reclamou de estresse e agenda corrida

Amy Sussman/Invision/AP
Tim Bergling, também conhecido como Avicii Imagem: Amy Sussman/Invision/AP

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

12/12/2018 14h22

Oito meses depois da morte do DJ Avicii, a Netflix vai lançar um documentário sobre a sua vida, intitulado "Avicii: True Stories". O filme chega em 28 de dezembro na versão americana do serviço de streaming, mas ainda não há confirmação que o título será disponibilizado também no Brasil.

O documentário foi filmado durante quatro anos antes da morte de Avicii, que cometeu suicídio aos 28 anos. Segundo a revista "Cosmopolitan", Avicii diz, em um momento do filme: "As apresentações nunca acabam, mesmo quando eu atinjo o meu limite. Minha vida é sobre estresse. Isso vai me matar".

O empresário de Avicii, Ash Pournouri, também admite no filme que a agenda corrida estava prejudicado seu cliente e amigo: "Tim [Bergling, verdadeiro nome do DJ] vai morrer, com todas as entrevistas, rádios e apresentações. Ele vai cair morto".

"Avicii: True Stories" deixa claro que o DJ se sentia responsável por sustentar sua equipe e sua família, e que por isso não diminuiu o ritmo de apresentações. O estresse o levou à bebida.

"Se eu não bebo, eu só fico mais e mais nervoso antes dos shows", comenta em cena do filme. Após vários problemas de saúde ocasionados pelo abuso de álcool, Avicii passou por cirurgias e acabou se viciando em analgésicos durante a recuperação.

O documentário foi finalizado e lançado em alguns territórios europeus antes da morte de Avicii, mas depois dele se afastar das turnês. Por isso, as cenas finais mostram o DJ relaxando em uma praia, finalmente conseguindo o que queria: um pouco de paz.