Topo

Atirador de Dayton era de banda de metal que cantava sobre estuprar mulheres

Derek Myers/Twitter/AFP
Imagem: Derek Myers/Twitter/AFP

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

06/08/2019 11h30

O atirador que matou nove pessoas em um atentado na madrugada do último domingo, na cidade norte-americana de Dayton, Ohio, já exibia comportamentos machistas e misóginos, de acordo com a imprensa local. Uma reportagem do Buzzfeed expôs que ele era de uma banda de um gênero de metal em que as letras falam, entre outras coisas, sobre estuprar e matar mulheres, ainda que geralmente use muito humor.

O gênero da banda do atirador, identificado como Connor Betts, de 24 anos, é o pornogrind, uma ramificação do grindcore - que por sua vez tem elementos de death metal, punk e hardcore. A Menstrual Munchies era um trio que se apresentava ao vivo - e fez show em junho, no festival Summer Massacre 2, realizado em Chicago.

O pornogrind é conhecido por manter as características do grindcore, com instrumental veloz, som sujo e agressivo e vocais guturais e gritados, mas se volta a temáticas brutais nas letras, satirizando violência sexual e temáticas grotescas, como forma de chocar.

Desde a arte aos nomes de música, os conteúdos são explícitos, citando mutilações genitais e necrofilia e usando imagens de mulheres acorrentadas e cobertas de sangue, sugerindo estupro.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Os resultados de busca, assim como página do Facebook e do Bandcamp e perfil no YouTube do grupo aparentemente foram deletados.

Grupos e integrantes de bandas de metal extremo foram à web condenar o atentado. Um deles, chamado Neckbeard Deathcamp, que se diz uma banda de black metal antifascismo da qual Betts teria participado à distância, tuitou atacando-o.

"O atirador de Dayton era Connor Betts. Eu não acho que usaria o termo 'de esquerda' para um cara do Menstrual Munchies. Antifascista, com certeza. Mas não era ótimo com as mulheres", disse mensagem da banda.

Ao Buzzfeed, um ex-colega de classe de Betts afirmou que ele já tinha sinais de misoginia e fazia listas de pessoas que queria agredir no colégio - sendo a maioria mulheres. Ele foi suspenso quando a direção descobriu a lista. Além disso, Betts fazia ameaças em tom de piada, mas não era levado a sério.

"A lista incluía todas as coisas vis que ele queria fazer com elas. As meninas ficaram assustadas e ele acabou expulso por isso", disse outro colega de classe, anonimamente, ao Washington Post.

Para falar de grindcore e pornogrind, o Buzzfeed entrevistou um homem que é responsável pela página do Facebook Brutal Slamming Memes, com humor envolvendo metal. Ele defendeu que não é possível apenas ligar o gosto musical do criminoso com seus ataques - a exemplo do que muitas vezes acontece com games.

"Pornogrind é uma dissidência do grindcore que é mais despreocupada e envolve mais temas sexuais. A música é obscena, mas as pessoas costumam ser legais", disse a fonte, anonimamente.

Em um post, a mesma página disse que "Connor pagou o preço de seus erros, mas não seremos arrastados para a lama por ele. Asseguro que a comunidade que gosta de death metal e grindcore é cheia de gente incrível, que nunca machucaria alguém". Outros exemplos de bandas do estilo são Gut e Cock and Ball Torture (veja esta última no vídeo abaixo):

Outra ligação com o metal veio por um capuz usado por Betts, com imagem da banda The Acacia Strain, de deathcore - mistura de death metal com hardcore. O vocalista do grupo, Vincent Bennett, disse no Twitter que se sente enojado pelo atentado e que agirá para ajudar as vítimas do massacre.

O atentado de Dayton ocorreu poucas horas após um outro ataque a tiros, em El Paso, Texas, onde mais 20 pessoas morreram.

Mais Rock