Topo

Filmes e séries


Big Little Lies: Como Laura Dern "roubou" a temporada que deveria ser de Meryl Streep

Laura Dern vive Renata Klein na segunda temporada de Big Little Lies - Divulgação
Laura Dern vive Renata Klein na segunda temporada de Big Little Lies
Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Do UOL, em São Paulo

21/07/2019 04h00

"Eu não vou deixar de ser rica!" ("I will not not be rich!"). A segunda temporada de Big Little Lies exibe o seu último capítulo hoje, na HBO, e essa frase dificilmente vai perder o posto de mais icônica da nova leva de episódios. A cena em que Renata Klein (Laura Dern) esbraveja contra o marido, Gordon (Jeffrey Nordling), após ele ser preso por lavagem de dinheiro, é apenas um dos muitos momentos da personagem que se tornaram memes na internet.

Em uma temporada de Big Little Lies que apostou um pouco mais na comédia ao retratar a vida das mulheres privilegiadas que a povoam, Renata se tornou o destaque incontestável. E Laura Dern, por sua vez, revelou a genialidade da sua performance na pele dessa personagem furiosa, pretensiosa, sem papas na língua, e inegavelmente carismática.

É curioso porque, durante a promoção da segunda temporada, pouca gente apostaria em Dern como a grande estrela do show. Ela era uma das muitas mulheres marcantes que retornavam do primeiro ano, é verdade, mas a posição de destaque em trailers, pôsteres e outros materiais promocionais ficava com a recém-chegada: Meryl Streep.

Meryl Streep em cena de Big Little Lies - Reprodução/YouTube
Meryl Streep em cena de Big Little Lies
Imagem: Reprodução/YouTube

Meryl, Nicole e cia.

O papel de Streep em Big Little Lies é um que ela interpreta muito bem: o de megera. Ela vive Mary Louise, mãe de Perry (Alexander Skarsgard), marido abusivo de Celeste (Nicole Kidman), que foi morto por Bonnie (Zoë Kravitz) no final da primeira temporada. Ela acha muito suspeita a forma como Celeste e suas amigas dizem que Perry morreu em um acidente, e questiona a capacidade da nora de cuidar dos filhos.

No seu papel, Meryl Streep é inconfundivelmente Meryl Streep -- ou seja, excelente. Cheia de trejeitos, ela saboreia as falas mais venenosas que os roteiristas lhe dão e entrega momentos memoráveis, como seu grito na mesa da cozinha no primeiro episódio. No Emmy 2020, pode contar com a presença de Meryl, mas não se surpreenda se ela for batida por Dern.

A diferença entre as performances das duas está na forma como Dern consegue articular uma mulher de verdade, e não uma caricatura novelesca, a partir dos "chiliques" de Renata. Sua criação é extravagante, é verdade, mas reflete com inteligência a frustração de mulheres que conquistaram o poder e precisam vê-lo desaparecer pela infantilidade dos homens a sua volta. Fundada em algo tão real, Renata é mais engraçada -- mas também mais envolvente.

Ela é o destaque mesmo em meio a um elenco fora de série. Kidman, por exemplo, brilha nas cenas em que Celeste está com seus filhos, expressando a angústia de uma mãe que pode perder seus pequenos a qualquer momento. Enquanto isso, Shailene Woodley manda bem quando a temporada se foca na luta de sua Jane para superar traumas e retomar a vida sexual, anos depois do estupro cometido por Perry.

O combo Reese Witherspoon e Adam Scott também é ótimo, especialmente agora que o casamento cheio de mentiras de Madeline e Ed começou a desmoronar com a revelação da infidelidade dela. Com um roteiro bem mais inconsistente do que na primeira temporada, no entanto, Dern e suas tiradas raivosas são o que há de mais constante e confiável em Big Little Lies.

Laura Dern recebe o Globo de Ouro por primeira temporada de Big Little Lies - Getty Images
Laura Dern recebe o Globo de Ouro por primeira temporada de Big Little Lies
Imagem: Getty Images

Filmes e séries