Topo

Anitta


Anitta diz que continua brigada e nega dueto com Pabllo Vittar: "Fake news"

Anitta em coletiva sobre encerramento da Copa América no Maracanã - Daniel Pinheiro/AgNews
Anitta em coletiva sobre encerramento da Copa América no Maracanã Imagem: Daniel Pinheiro/AgNews

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

05/07/2019 13h51

Em uma entrevista hoje no Rio de Janeiro sobre sua participação na cerimônia de encerramento da Copa América Brasil 2019, Anitta negou que fará dueto com Pabllo Vittar e que as duas fizeram as pazes.

"Fake news, boato", disse a funkeira.

Anitta, Pabllo Vittar e Iza deixaram os fãs confusos por conta de posts semelhantes no Instagram. As três fizeram publicações recentes com a palavra "shine" (brilho, em inglês) e muita gente cogitou que as cantoras cantariam juntas e estariam divulgando um novo trabalho. A funkeira e a drag queen deixaram de se falar após a gravação do clipe Sua Cara, em 2017.

O vídeo custou a Anitta US$ 70 mil e Pabllo pediu um cachê de R$ 40 mil para participar do lançamento, o que deixou a funkeira chateada. "Pago os R$ 40 mil e você paga a sua parte dos US$ 70 mil que eu gastei no clipe", retrucou Anitta.

A cantora é uma das atrações da cerimônia que acontece neste domingo, no Maracanã, à s 16h35, antes da grande final de Brasil x Peru. Anitta fará um dueto da música Calma com o porto-riquenho Pedro Capó.

"É uma parceria que nunca tinha imaginado fazer e foi uma ideia de toda a organização da Copa América. Fiquei muito feliz. Acho que tem tudo a ver e vai dar super certo", disse Anitta na coletiva sobre o encerramento do evento.

Sucesso no Brasil e no exterior, a cantora carioca já gravou duetos com grandes nomes da música internacional como Madonna e Maluma. Pedro Capó, de 38 anos, é um admirador da música brasileira e já gravou Vamos a Huir, uma versão em espanhol de Vamos Fugir, de Gilberto Gil.

Entretenimento e esporte andam juntos

Nascida e criada em Honório Gurgel, subúrbio do Rio, Anitta também opinou se ela acha que houve um legado dos Jogos Olímpicos no Rio, em 2016, para jovens da periferia.

"Entretenimento e esporte andam muito juntos, principalmente quando se fala do sonho periférico. E quando a gente vem desses locais do Rio de Janeiro ou de qualquer periferia do Brasil, acaba sendo um sonho mais frequente nas crianças e adolescentes. No Brasil, a gente acaba pecando um pouco no sentido de organização e levar isso para crianças e adolescentes de maneira mais profunda", diz ela, que é otimista e acredita que os eventos tendem a melhorar nesse sentido.

"Da mesma forma que talvez, há anos e anos, não tenha sido perfeito, a cada experiência que o Brasil passa, acho que se aprimora", completou.

Anitta fala de dueto com Pedro Capó no encerramento da Copa América:

Mais Anitta