Topo

Pop


Lily Allen explica por que barrou transmissão de show: "Assinaram por mim"

Lily Allen durante seu show no Cultura Inglesa Festival, em São Paulo - Manuela Scarpa/Brazil News
Lily Allen durante seu show no Cultura Inglesa Festival, em São Paulo Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

10/06/2019 17h28

A passagem de Lily Allen pelo Brasil segue fazendo barulho. A cantora que se apresentou ontem no Cultura Inglesa Festival, em São Paulo, fez um desabafo nas redes sociais depois de ler algumas reclamações dos fãs por ela não ter autorizado a transmissão do show pelo Multishow, que fazia a transmissão ao vivo.

"Alguém assinou meus direitos de transmissão e talvez tenha vendido para eles pelo o que fiquei sabendo, direitos que eles não têm em primeiro lugar, além de não ter minha permissão ou conhecimento. Passei as últimas 24 horas tentando entender o que aconteceu, mas todo mundo está se fazendo de desentendido e passando a bola", escreveu a cantora em um tuíte fixado no topo da sua conta do Twitter.

Procurados pelo UOL, a Cultura Inglesa Festival e o Multishow afirmaram em comunicado que obtiveram as "devidas permissões necessárias" e que receberam a desautorização posterior "supostamente a pedido do manager da artista".

"A organização do 23º Cultura Inglesa Festival reitera que obteve as devidas permissões necessárias, por meio de contrato assinado com a Warner Music do Brasil e Parlophone Music (Warner UK), gravadoras que declararam deter direitos artísticos da cantora Lily Allen para a transmissão do show pelo canal Multishow. Posteriormente, recebemos a comunicação das gravadoras desautorizando a transmissão supostamente a pedido do manager da artista, sob a justificativa de que não poderiam ter autorizado a transmissão sem o consentimento da artista."

Cantora ficou irritada

Em outros tuítes, a cantora deu mais detalhes sobre o que aconteceu antes de subir ao palco. "Me perdoem por não ter rolado a transmissão ao vivo do meu show ontem à noite, Eu nem sabia que haveria uma transmissão até que alguém da gravadora pediu à minha produção credenciais para ajudar com a transmissão. E aí eu fiquei tipo: 'que trasmissão?' 'uma transmissão ao vivo para a TV dos 90 minutos do seu show'."

Lily Allen ainda admite que ficou irritada com a situação e se sentiu explorada. "É por isso que estou tão irritada. Não foi minha culpa, essas pessoas pensam que não vai dar em nada porque 'ela não vai querer irritar os seus fãs'. É claro que eu não quero irritar os meus fãs, mas eu preciso receber algo por esse tipo de acordo. Não posso ser explorada dessa forma."

Ela então começou a responder a alguns fãs que a questionaram se ela teria autorizado a transmissão caso houvesse um acordo prévio. "É claro que sim. Foi um show incrível", além de afirmar que essa questão teria de ter passado pelo empresário dela, e não passou.

Lily ainda fez questão de salientar porque estava abrindo a situação. "Se eu não falasse ficaria parecendo que cancelei 'porque sou uma diva difícil de trabalhar'... Mas como eu posso cancelar algo que eu nem estava sabendo em primeiro lugar. Só não quero me ferrar o tempo todo, isso é cansativo", desabafou. Ela ainda mostrou que pesquisou sobre o canal depois da confusão nos bastidores. "Fiz uma busca sobre o canal de TV que estava transmitindo e eles parecem enormes", salientou.

O Multishow é um braço da Globosat e costuma fazer a transmissão ao vivo de grandes festivais, como o Lollapalooza, Rock in Rio e Villamix. Os fãs que acompanharam o desabafo fizeram questão de explicar isso para a cantora.

Volta após dez anos

Lily Allen voltou ao Brasil depois de dez anos sem tocar no país. No show, ela dedicou uma de suas canções mais famosas, Fuck You, a Bolsonaro. Em tradução livre, a expressão que dá título à música quer dizer "vai se f...".

Lily lembrou que junho é o mês do orgulho LGBT e que costuma citar Trump antes desta música. Então, complementou: "Pensei em, desta vez, dedicar esta música para o presidente de vocês". Ela adicionou: "Eu provavelmente serei presa, provavelmente nunca voltarei para o Brasil. 'Fuck You', Bolsonaro".

Pop